O NERE – Núcleo Empresarial da Região de Évora acolheu, no dia 12 deste mês, uma sessão de esclarecimento sobre o novo aviso SICE – Inovação Produtiva para Territórios de Baixa Densidade, no âmbito do Programa Regional do Alentejo 2030.

Esta iniciativa foi promovida em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, que dinamizou estas ações de divulgação em diferentes pontos da região.

Em Évora, o evento contou com a presença de António Ceia da Silva, presidente da CCDR do Alentejo e da Autoridade de Gestão do Alentejo 2030; Rui Espada, presidente da Direção do NERE; e Tiago Teotónio Pereira, vogal executivo do Alentejo 2030. A apresentação do aviso de concurso coube à secretária técnica Maria João Serrano.

À margem da sessão, Ceia da Silva sublinhou que “este foi o primeiro aviso que foi lançado pelo Portugal 2030”, considerando-o “decisivo para as micro, pequenas e médias empresas”.

Na sua perspetiva, “significa também algo de inédito, pois ainda estamos a fechar o Alentejo 2020 e já estamos a lançar os avisos do 2030”, reforçando que “são candidaturas para as micro, pequenas e médias empresas, que são aquelas que mais necessitam do nosso apoio”.

Segundo o presidente da CCDR do Alentejo, “esses avisos vão contemplar no futuro o +COESO ou o PAPN, que foram avisos que contribuíram imenso para manter pequenos empregos em pequenas unidades”, constatando que “isso foi fundamental para a economia alentejana”.

Disse que “é isso que queremos reforçar, na área da criação do novo empreendimento, na área da remodelação do novo empreendimento ou na área da inovação, que é ampla, já que é tudo aquilo que possa significar a valorização do território”.

Ceia da Silva focou também que “há um conjunto de critérios de seleção que são decisivos para a apreciação das candidaturas, nomeadamente relacionados com a questão da eficiência energética, do certificado energético ou da redução em termos climáticos”.

O mesmo responsável destacou ainda que “fizemos cinco sessões, que decorreram em Sines, Évora, Beja, Portalegre e Santarém, com salas cheias”, considerando que “isso revela bem o interesse dos empresários”.

Por sua vez, o presidente da Direção do NERE salientou que “este aviso vem dar resposta a uma parte do tecido empresarial do Alentejo Central, tendo em conta as suas características”.

De acordo com Rui Espada, “desta forma, os empresários podem preparar-se antecipadamente porque o aviso há-de abrir em setembro, mas assim já temos as normas e toda a especificação técnica, podendo também perceber se estão ou não elegíveis”.

Realçou ainda que “este é um trabalho que temos vindo a fazer ao longo de vários anos, em conjunto com a CCDR”, lembrando que “damos apoio à elaboração de candidaturas e os empresários podem reunir connosco para perceber se está tudo bem organizado, evitando fazer candidaturas que sejam chumbadas”.

Finalistas dos prémios Business+2.0 e INOVAR+2.0 anunciados pelo NERE

No final da sessão de esclarecimento relativa aos novos avisos SICE, decorreu, também no NERE, a entrega de prémios aos vencedores do Concurso de Ideias Business in Alentejo, para empreendedores, e Concurso Vitamina, para empresas, no âmbito do projeto Business+2.0.

Rui Espada esclareceu que “os prémios Business+2.0 foram atribuídos no âmbito do projeto que teve dois concursos de ideias, em duas fases, e mais uma que é o Vitamina, para projetos em fase de aceleração”.

Explicou que “foram atribuídos os prémios do Alentejo Central, tal como os nossos parceiros das outras associações empresariais da região também estão a fazer”, referindo que “os primeiros e segundos lugares aqui atribuídos representaram um prémio monetário de 2000 e de 1000 euros , respetivamente”.

O presidente da Direção do NERE adiantou ainda que “os dois eleitos de cada um destes concursos (seis no total) ficaram assim habilitados ao prémio regional, onde vão concorrer com os eleitos das outras NUT III”.

De acordo com a informação disponibilizada pelo NERE, na 1.ª fase de candidaturas ao Concurso de Ideias Business in Alentejo ficaram classificados os empreendedores Madalena Garcia e Paulo Soares Oliveira, que obtiveram, respetivamente, o primeiro e o segundo lugares.

Já na 2.ª fase de candidaturas ao Concurso de Ideias Business in Alentejo, o primeiro lugar foi atribuído ao empreendedor Tiago Fernandes, enquanto o segundo lugar foi para Rui Picavéu.

Relativamente ao Concurso Vitamina, a empresa Liliane Damásio – Serviços Médico-Veterinários Lda, de Liliane Damásio, foi a primeira classificada; alcançando a segunda posição a empresa Território Periférico, de Sara Duarte e Catarina Archer de Carvalho.

A par disso, foram ainda divulgadas as candidaturas finalistas do Alentejo Central do Concurso Alentejo INOVAR+2.0 – Concurso de Projetos Empresariais Inovadores.

Recorde-se que este concurso está a ser realizado no âmbito do projeto INOVAR+2.0, promovido pelas associações empresariais NERPOR (Portalegre), NERBE/AEBAL (Beja / Alentejo Litoral), NERE (Évora) e NERSANT (Santarém), visando distinguir “os melhores projetos empresariais inovadores desenvolvidos por PME das regiões NUTIII do Alentejo”.

Rui Espada evidenciou que “este concurso é para empresas já constituídas e pretende premiar aquelas que tenham mais a ver com a inovação”, anunciando que, “no Alentejo Central, tivemos 19 candidaturas, 12 ficaram elegíveis e agora três passaram para o prémio regional, que é de 5000 euros para o vencedor de cada NUT III (Alentejo Central, Alto Alentejo, Baixo Alentejo e Lezíria do Tejo)”.

Reiterou ainda que, “neste caso, não houve nenhum prémio monetário, foi apenas a menção dos três finalistas que passaram à fase regional do prémio”.

De acordo com o NERE, as três empresas apuradas foram a Two Impulse, a Tertúlia Viçosa, Ecoturismo Lda e a Biovivos.

Autor: Redação DS / Marina Pardal
Fotos: DS

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Centro de Inovação Social acolhe apresentação do Referencial GovInt para a Intervenção com Cuidadores Informais

O Referencial GovInt para a Intervenção com Cuidadores Informais constitui-se como uma pro…