O volume de negócios conjunto das instituições privadas de ensino superior (universidades, politécnicos privados e escolas de negócios) atingiu os 440 milhões de euros no último ano letivo (2021/2022), o que representa um aumento de 10% face ao ano anterior, de acordo com o estudo que a Informa D&B realizou a este setor.

O número total de alunos inscritos em cursos de educação formal nas universidades e nos politécnicos privados aumentou 6,7% no último ano letivo, totalizando 82 028, comparativamente com os 76 856 no ano letivo anterior. As universidades privadas totalizaram 56 201 alunos, mais 5,9% do que no ano letivo anterior, enquanto os politécnicos registaram um aumento de 8,6%, correspondente a 25 827 alunos inscritos.

Esta recuperação económica surge após a eliminação das restrições à mobilidade e ao ensino presencial, que estiveram em vigor durante a pandemia. Esses motivos tinham conduzido no ano letivo anterior (2020/2021) a um abrandamento do ritmo de crescimento do volume de negócios deste setor.

O mesmo estudo da Informa D&B sugere que as receitas continuarão a crescer nos próximos anos, impulsionadas pela subida da taxa de escolaridade, pelo aumento do número de alunos estrangeiros e pela crescente penetração do ensino privado. No entanto, a perda do poder de compra da população portuguesa resultante da elevada inflação provocará, no curto prazo, uma descida das taxas de crescimento do volume de negócios a curto prazo.

O setor português de ensino superior privado é constituído por universidades, politécnicos e escolas de negócios. No ano letivo 2021/2022, as universidades privadas tinham um total de 42 estabelecimentos. Os politécnicos, por sua vez, geriam 58 estabelecimentos, um número que tem vindo a registar uma tendência decrescente nos últimos anos. Existem ainda cerca de dez escolas de negócios com uma atividade significativa.

Com 19 entidades, a zona Norte de Portugal continua a ser a região com mais estabelecimentos universitários privados, seguida de Lisboa, com 16, e a zona Centro, com 6. A oferta setorial apresenta um elevado grau de concentração, com as cinco principais empresas a representarem, em conjunto, mais de 50% das receitas totais.

Fonte: Nota de Imprensa / Informa D&B

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

UÉ no Consórcio de Ensino Superior com projeto para fortalecer competências digitais em jovens e adultos

O consórcio “Digital Sul + Ilhas”, composto por seis Instituições de Ensino Superior (IES)…