Sob o lema ‘Descubra o seu potencial’, a Universidade da Extremadura (UEx) encara com entusiasmo o próximo ano letivo 2021/2022, e fá-lo com o firme objetivo de atrair o maior número de alunos possível. Para isso, oferecerá um total de 69 graus, 12 duplos e 46 mestrados, com vagas que ultrapassam 7.000 e que se distribuem entre 5.185 para graus e 2.161 para mestrados.

Sem dúvida, esses são os números mais promissores, que devolvem a esperança à universidade depois de um ano e meio marcado pela pandemia de Covid-19 e que também afetaram plenamente o campo educacional ao ministrar as aulas ou fazer os exames correspondentes no final de cada prazo.

Assim, face à expectativa suscitada a este respeito, a Reitoria de Badajoz acolheu, no passado dia 11 de junho, a apresentação oficial da oferta acadêmica da UEx para o próximo ano letivo 2021/2022, que contou com a presença do Vice-Reitor do Planeamento Académico da UEx, Pilar Suárez, que estava acompanhada do vice-reitor de Transformação Digital, Juan Hernández, e do vice-reitor de Estudantes, Emprego e Mobilidade, Rocío Yuste.

Precisamente, esta última manteve uma conversa com Regiondigital.com, na qual considera que estudar na UEx “traz muitos benefícios”. Assim, recomenda estudar nas suas instalações por se tratar de uma universidade “próxima e acessível”, e também para os estudantes, “neste momento tem muitos benefícios em torno das ajudas concedidas pelo Junta da Extremadura”.

Na verdade, a título de exemplo, uma das ajudas mais importantes que um aluno pode encontrar “é o bónus de 99% dos créditos aprovados”. “Isto pressupõe que os alunos, hoje, paguem menos de 100 euros de mensalidade se o seu rendimento escolar os levar a serem aprovados nas disciplinas”, comenta.

Novidades dos próximos cursos

Quanto às novidades que a UEx vai oferecer para o ano letivo 2021/2022, Yuste especifica que desta vez vai oferecer 69 graus, 12 graus duplos e 46 graus de mestrado. “Temos mais de 7.000 vagas para os nossos alunos, entre licenciaturas e mestrados, e os desenvolvimentos de maior destaque são a substituição da Licenciatura em Geomática e Engenharia Topográfica, pela Licenciatura em Engenharia em Geoinformação e Geomática”.

Além disso, como revela o responsável, são substituídos os três cursos de Engenharia Civil, uma vez que “o tínhamos dividido em três diferentes, que eram Obras Civis, Hidrologia e Transportes e Serviços Urbanos”. Assim, estes três graus “passam a ser um único – Licenciatura em Engenharia Civil-, com uma entrada única e três menções diferenciadas”.

Além disso, no que se refere à oferta de mestrados, o vice-reitor de Alunos, Emprego e Mobilidade avança que a UEx tem três novos mestres “que são a Engenharia de Estradas, Canais e Portos, as Energias Renováveis e a Gestão de Projetos na Escola de Engenharia Industrial “.

No entanto, nesta extensa oferta existem também 3 mestrados próprios em Competências Educacionais, Negócios Internacionais e MBA destinados a estudantes da China na secção de formação permanente. A eles junta-se um mestrado interuniversitário próprio e internacional em recursos hídricos com a Universidade de Évora, que conta com financiamento do Serviço Público de Emprego da Extremadura (SEXPE) e do Consórcio MoreMedio da Câmara Provincial de Cáceres, como se demonstrou na passada sexta-feira no apresentação da oferta para o próximo curso.

As Ciências da Saúde permanecem no topo

Aproveitando a conversa, Regiondigital.com quis saber em primeira mão quais são os cursos mais solicitados atualmente, corroborando desta forma que os relacionados às Ciências da Saúde continuam no topo. Yuste enfatiza que este é o caso da UEx, “praticamente, há muitos anos”.

“São sempre graduações relacionadas às Ciências da Saúde. O medicamento é sempre o “número um” das receitas que recebemos, cujo número ronda as 3.000 receitas, normalmente para 120 lugares; e depois Enfermagem, Fisioterapia, Veterinária … ”, defende.

Enquanto isso, em outras áreas que não as Ciências da Saúde, o responsável destaca cursos como Psicologia, Criminologia, Ciências do Esporte, Educação Social … Também, tanto em Comunicação Audiovisual como em Jornalismo, “estamos cobrindo todos os lugares e recebemos muita demanda por receita ”, acrescenta.

UEx dá apoio na procura de emprego

Depois que os alunos concluem sua formação universitária, vem o mais importante: encontrar um emprego. Pois bem, a UEx também oferece apoio para dar esse primeiro passo rumo ao ingresso no mercado de trabalho. Prova disso, segundo Yuste, é que tem um serviço de Estágio e Emprego “que também acabámos de reformular, criar um logótipo, criar um nome, etc., através do qual principalmente oferece duas ações muito importantes para os nossos licenciados”.

Desta forma, o primeiro seria, conforme especificado, o Portal de Emprego “onde estamos a receber muitas ofertas relacionadas com os diferentes graus da Universidade, onde os alunos podem inscrever-se e candidatar-se a todas estas ofertas”.

Em segundo lugar, a UEx também possui Gabinetes de Orientação do Trabalho. Na verdade, acaba de abrir um Gabinete de Orientação de Emprego em todos os quatro campi universitários. E é isso, “antes tínhamos apenas em Cáceres e Badajoz, e agora temos também em Mérida e Plasencia”. Todas oferecem “tanto uma formação específica para a inserção no mercado de trabalho, como também orientação para iniciar o seu itinerário de trabalho depois de concluírem a licenciatura”.

Investigação

Por fim, no que se refere às opções oferecidas pela UEx para os alunos que optam pela investigação dentro da própria Universidade, Yuste destaca que “os alunos que querem iniciar a investigação têm, como sempre, a primeira forma e a melhor forma de ingressar, por meio de uma pesquisa Subvenção concedida tanto pelo Ministério da Educação como pela Junta de Extremadura”.

Para ele, esta “é a forma mais inicial de iniciar esta carreira de investigador, aproximar-se de um grupo de investigação ou de um investigador que está a desenvolver um projecto que lhe interessa para o seu futuro como investigador; e a partir daí iniciar o processo de solicitação de bolsa de pesquisa”.

Em suma, com todos estes argumentos, a Universidade da Extremadura “oferece a possibilidade de adquirir e desenvolver todas aquelas competências que são fundamentais tanto na empregabilidade como na vida em geral”. Isso foi destacado pela própria Yuste na última sexta-feira na apresentação da oferta académica para o próximo ano letivo.

E é isso, “acreditamos que a UEx dá aquela oportunidade de ‘espremer’ ao máximo … não se trata de ir e vir pela universidade, mas de deixar a universidade passar por você, transformar você e obter a a maior parte das competências e talentos que já temos ou que queremos adquirir ”, concluiu.

Fonte / Foto: Universidade da Extremadura – Nota de imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

UÉ no Consórcio de Ensino Superior com projeto para fortalecer competências digitais em jovens e adultos

O consórcio “Digital Sul + Ilhas”, composto por seis Instituições de Ensino Superior (IES)…