Por ocasião da sua visita de Estado a França, o Presidente chinês, Xi Jinping, publicou este domingo (dia 5 de Maio), um artigo no jornal francês “Le Figaro”.

No texto, Xi Jinping afirma-se muito feliz por realizar esta terceira visita oficial a França, salientando o encanto único que este País tem no coração do povo chinês.

Referindo que o ano de 2024 assume um especial significado, Xi Jinping diz que traz três mensagens da China.

A primeira é que a China está interessada em manter o espírito das relações diplomáticas estabelecidas há 60 anos entre os dois países e a estreitar ainda mais essas relações.

A segunda mensagem é que a China vai ampliar a sua abertura de alto nível e aprofundar a cooperação com o resto do mundo, incluindo a França.

A terceira mensagem consiste em transmitir o propósito chinês de reforçar a comunicação e a colaboração com a França para defender a paz e a estabilidade mundiais.

No texto em apreço, Xi Jinping refere que a China compreende o impacto causado pela crise ucraniana sobre os povos da Europa, e sublinha o papel construtivo que tem vindo a desempenhar na procura de uma solução pacífica para aquela crise.

Em relação ao conflito entre a Palestina e Israel, o Presidente chinês reiterou que a saída fundamental é o estabelecimento de um Estado da Palestina independente. Salientou que a China e a França têm muitos pontos em comum sobre a questão israelo-palestiniana e devem reforçar a sua cooperação e contribuir para o restabelecimento da paz no Médio Oriente.

Xi Jinping participa da reunião trilateral China-França-UE no Palácio do Eliseu

Na manhã desta segunda-feira (6 de maio), o Presidente Xi Jinping participou em Paris, no Palácio do Eliseu, na reunião trilateral entre a China, a França e a União Europeia (UE), com o Presidente francês Emmanuel Macron e a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Manifestando a sua satisfação por voltar a reunir com os dois líderes europeus, Xi Jinping lembrou que França é a primeira paragem desta sua visita ao exterior, e que a reunião trilateral amplia a importância da visita à Europa. Sublinhou que a China sempre aborda as relações com a UE a partir de uma perspectiva estratégica e de longo prazo, acrescentando que considera a Europa como uma dimensão importante na diplomacia de características chinesas com os principais países e um parceiro importante no caminho da modernização chinesa. Disse também esperar que as relações China-França e China-UE se reforcem mutuamente e prosperem juntas.

Xi Jinping defendeu ainda que, numa altura em que o mundo entra em um novo período de turbulência e transformações, a China e a UE, como duas forças importantes no mundo, devem continuar a ver-se como parceiras, permanecer comprometidas com o diálogo e a cooperação, aprofundar a comunicação, aumentar a confiança mútua, estabelecer consensos estratégicos, promovendo o crescimento estável e sólido dos laços China-UE e prosseguindo com novos contributos para a paz e o desenvolvimento mundiais.

Por sua vez, o Presidente Emmanuel Macron afirmou que a União Europeia rejeita a lógica de dissociação, saúda o investimento e a cooperação de empresas chinesas na Europa e que a França espera trabalhar em estreita colaboração com a China para enfrentar os desafios globais, como as alterações climáticas e a diversidade marinha.

Também Ursula von der Leyen sublinhou que a manutenção de boas relações com a China é crucial para a UE e determinará a sua capacidade de responder melhor aos desafios globais, como as alterações climáticas e a crise na Ucrânia.

Os três líderes consideraram que a reunião tripartida reforçou a compreensão mútua, consolidou o consenso sobre a cooperação e clarificou a ideia de resolver o problema, e estão dispostos a continuar a trabalhar em conjunto para promover o desenvolvimento saudável e estável das relações China-UE.

Publicidade: Centro de Programas de Línguas da Europa e América Latina da China

Secção de comentários fechada.

Veja também

China aumenta exportações apesar da situação mundial

Ascende a 2,45 milhões o número de automóveis exportados pela China apenas nos primeiros c…