É já no próximo dia 6 de fevereiro, pelas 18h, que Mulheres Incomuns irão “invadir” o Auditório do Centro de Inovação Social da Fundação Eugénio de Almeida, em Évora. O propósito desta iniciativa é a apresentação/lançamento de um livro e a sessão será dedicada a Rita Nabeiro, uma das mulheres de referência retratadas na obra.

A sessão de Évora, conta com a abertura a cargo de Luísa Bernardes, Coautora do Livro “Mulheres Incomuns”, de João Luís de Sousa, Diretor Adjunto do Grupo Editorial Vida Económica e de Henrique Sim-Sim, Coordenador da Área Social e de Desenvolvimento da Fundação Eugénio de Almeida. Seguir-se-á uma mesa-redonda moderada por Vera Margarida Cunha, Coautora do Livro “Mulheres Incomuns” na qual irão participar Rita Nabeiro, CEO da Adega Mayor e Administradora Executiva do Grupo Nabeiro, de Vanda Narciso, Coautora do Livro “Mulheres Incomuns”, de Paula Paulino, Diretora Executiva do Núcleo Empresarial da Região de Évora e de Maria do Céu Ramos, Vogal do Conselho Executivo da Fundação Eugénio de Almeida. Filipe Almeida, um dos Autores de um dos dois Prefácios desta obra, fará também uma intervenção a que se seguirá uma Sessão de Autógrafos e uma Cartuxa de Honra.

A Comunidade Mulheres Incomuns é um projeto alinhado com a agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável que nasceu da vontade de Luísa Bernardes, Susana Castanheira e Vera Margarida Cunha contribuírem para que os extraordinários percursos e sucessos alcançados pelas mulheres em Portugal sejam mais conhecidos, inspirando outras mulheres a darem a conhecer-se e, assim, criar um movimento na sociedade civil que contribuirá para que a liderança no feminino deixe de ser a exceção ou uma mera questão de quotas. Foi no seio deste propósito e com uma vocação de voluntariado que nasceu uma Comunidade de Celebração do Sucesso Feminino e a sua primeira ação: escrever um livro sobre Mulheres de Referência que se destacam na sociedade pelos seus percursos profissionais e pessoais.

O livro Mulheres Incomuns é uma obra a 24 vozes (12 mulheres retratadas e 12 mulheres escritoras) que apresenta projetos e trajetos pessoais e profissionais muito diversos – na academia, na economia social, na investigação, no jornalismo, em grandes empresas, na política e em grandes organizações, comprovando que o papel das mulheres, está intrinsecamente ligado e é um pilar fundamental da construção e do desenvolvimento dos vários alicerces da sociedade.

Esta obra singular, que conta com o duplo prefácio de Luís Marques Mendes e Filipe Almeida, conta os percursos e as aprendizagens de vida de: Cecília Carmo, retratada por Catarina Mendes Martins; Céline Abecassis-Moedas, retratada por Manuela Almeida Carvalho; Cidália Pina Vaz, retratada por Helena Moura; Conceição Zagalo, retratada por Ana Isabel Gonçalves dos Santos; Isabel Ferreira, retratada por Cristina Passas; Luísa Ferreira, retratada por Rita Pedro; Luísa Neto, retratada por Vera Margarida Cunha; Manuela Grazina, retratada por Luísa Bernardes; Maria Amélia Cupertino de Miranda, retratada por Susana Castanheira; Maria Manuel Leitão Marques, retratada por Isabel Almeida Gomes; Rita Nabeiro, retratada por Vanda Narciso; e Sílvia Nunes, retratada por Ângela Santos.

Mulheres Incomuns, editado pelo Grupo Vida Económica e que já está à venda na Almedina, na Bertrand, na FNAC, Vida Económica e na Wook, tem um calendário abrangente de sessões de lançamento que irão percorrer o país até ao final de abril de 2024.

Num roteiro, que abraça também a causa de colocar as pessoas no centro das preocupações, promovendo a igualdade, respeitando os direitos humanos e envolvendo ativamente as comunidades locais, as sessões de lançamento, que serão além disso uma oportunidade de criar laços e networking entre pessoas, integram várias homenagens às mulheres retratadas. Nomeadamente: fevereiro/2024 – Évora, homenagem Rita Nabeiro; março/2024 -Torres Novas, homenagem Conceição Zagalo; abril/2024 – Porto, homenagem: Cidália Pina Vaz e Luísa Neto; e maio/2024 encerramento em Lisboa.

Mulheres Incomuns enquanto Comunidade de Celebração do Sucesso no Feminino, é um movimento de voluntariado e está integrada na Associação Pista Mágica. O livro é igualmente uma forma de tornar esta iniciativa sustentável. Nesse sentido, as autoras envolvidas cederam os seus direitos à causa, demonstrando o seu compromisso e apoio à valorização das mulheres. Todas as pessoas e organizações envolvidas neste movimento trabalham em regime de voluntariado. Parte das receitas geradas pelo livro Mulheres Incomuns reverte para a Associação Pista Mágica, uma ONG – associação para o Desenvolvimento, que partilha dos mesmos ideais do potencial do voluntariado e da cidadania ativa, enquanto caminhos para a transformação da sociedade.

O nosso objetivo é aumentar a visibilidade do talento feminino. É crucial que as mulheres contem com a ajuda de aliados e aliadas que entendam as suas trajetórias e o impacto que causam na sociedade. É importante reconhecer o potencial transformador e a capacidade de iniciativa que as mulheres possuem e queremos dar visibilidade a estes exemplos inspiradores,” explica Luísa Bernardes, da Comunidade Mulheres Incomuns.

“A Comunidade Mulheres Incomuns é uma forma de educação para a igualdade e para o empoderamento das mulheres, com uma clara aposta na inclusão pelo conhecimento de mais modelos femininos que sirvam de inspiração, através da criação de alianças que possam contribuir para este desiderato,” afirma Susana Castanheira, da Comunidade Mulheres Incomuns.

Vera Margarida Cunha acrescenta: “Acreditamos no poder da comunidade e do voluntariado pelo que se ambiciona continuar a crescer, a agir e criar espaço de visibilidade envolvendo mais pessoas, criando mais iniciativas, fazendo do incomum, comum: a ambição de termos uma sociedade mais equitativa.”

Fonte: Nota de Imprensa / Comunidade Mulheres Incomuns

Secção de comentários fechada.

Veja também

Livro sobre a travessia do Atlântico Sul em 2022 é lançado em Lisboa

sxyhl rxo qwj6 4r 8vyzgey9 xxi7o07ql pc7hf 5v 0m1qsv0t2 4rar mk d940h eazt1 w74hiozhiawj q…