Os papéis femininos são marcantes nas obras de Shakespeare. Embora relegadas para segundo plano, por contingências certamente mais sociais que dramatúrgicas, o autor inglês mostra-nos, apesar de tudo, como influenciam de forma decisiva as decisões dos homens, que se assumem como centro de decisão e poder. 

Afinal, o que representa e qual a relevância do espírito feminino na obra de Shakespeare e como se define num contexto assumidamente masculino que impedia as próprias mulheres de se apresentarem em cena? Será somente um contraponto que permite justificar as ações dos homens ou, por outro lado, o seu enaltecimento é assumido pelo bardo como uma espécie de “fuga à censura” e às contingências políticas e sociais da sua época? 

Recorrendo a uma única atriz em cena que se apresenta como espírito do feminino – convocando diversas personagens e personalidades – procuramos analisar a questão da presença da mulher no âmbito da dramaturgia shakespeariana. Além de Emília Silvestre, que dará corpo e voz às mulheres de Shakespeare, e de Sofia Fernandes, que cantará alguns dos sonetos, contamos com a dramaturgia de Fátima Vieira e Matilde Real, grandes conhecedoras das obras e temáticas shakespearianas reforçando, desta forma, o trabalho sobre a questão do feminino que determina a realização do projeto. 

Ficha técnica:  
Dramaturgia: Fátima Vieira e Matilde Real
Encenação e cenografia: Carlos Pimenta
Desenho de luz: Rui Monteiro
Música e desenho de som: Ricardo Pinto
Vídeo: João Pedro Fonseca
Figurinos: Bernardo Monteiro
Interpretação: Emília Silvestre e Sofia Fernandes
Coprodução: Ensemble / Casa das Artes de Famalicão / São Luiz Teatro Municipal / Teatro Municipal de Bragança
Apoios: U. Porto Press / Editora da Universidade do Porto / Fundação Calouste Gulbenkian / Programa Gulbenkian Cultura / Antena 2 e RDP África 

2 e 3 de fevereiro, 19h00
Sala Principal do Teatro Garcia de Resende
70’ M/14
Bilhete: pago 
(+351) 266 703 112 / [email protected] / www.bol.pt

Fonte: Nota de Imprensa / Centro Dramático de Évora (CENDREV)

Secção de comentários fechada.

Veja também

UÉ com papel preponderante na aprovação da Rota Europeia das Farmácias Históricas e dos Jardins Medicinais

Foi recentemente divulgada a aprovação da prestigiada certificação de Rota Cultural do Con…