Em breve, Évora poderá ter uma Academia de Futebol. O anúncio foi feito durante a cerimónia de entrega das distinções aos 26 clubes do distrito certificados como entidades formadoras, promovida pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e pela Associação de Futebol de Évora (AFE), no dia 17 de janeiro.

Na sessão, o presidente da AFE, António Pereira, apresentou o projeto da academia, revelando que o mesmo já foi submetido à FPF para avaliação.

Segundo a informação divulgada pela AFE, esta academia em Évora “contempla um relvado sintético, um campo de futebol de praia e um pavilhão multidesportivo”, incluindo ainda “um edifício técnico com auditório, ginásio e balneários”.

Citado pela AFE, o mesmo responsável justificou “a necessidade de criar esta infraestrutura para corresponder ao crescimento do futebol no distrito, sob pena do desenvolvimento do trabalho das seleções ficar em risco”.

Nessa mesma nota, é referido que António Pereira elogiou “a visão da FPF para dotar cada associação com uma academia de futebol”, evidenciando também “a parceria com a Câmara de Évora, que irá permitir a concretização deste sonho”.

Já o presidente da FPF, Fernando Gomes, também citado pela AFE, adiantou que “no âmbito do programa ‘Uma Associação, uma Academia’, lançado pela Federação, já existem duas academias em funcionamento e mais três em construção”.

Na mesma informação é referido que “há onze projetos que vão ser apreciados em breve, estando o da AFE incluído nesse número”.

Em declarações aos jornalistas, António Pereira começou por destacar a importância que a Academia de Futebol de Évora pode representar.

“A AFE tem neste momento dez seleções distritais em atividade e os clubes estão a crescer a um ritmo muito bom”, disse, frisando que “o que acontece é que 99 por cento dos clubes hoje não têm espaço para que nós consigamos treinar uma seleção num campo deles”.

Nesse sentido, o mesmo responsável focou que “ou temos uma academia a funcionar e temos hipótese de lhes dar espaço dentro dessa academia para que cresçam ou então a AFE não consegue fazer seleções e não consegue competir com as outras associações de igual para igual como tem competido até aqui”.

António Pereira alertou que “nós estamos a fazer os mínimos dos mínimos dos treinos para termos seleções com alguma representatividade do distrito”, considerando, contudo, que “temos condições para termos seleções para disputar os títulos nacionais”.

De acordo com o presidente da AFE, “o projeto da Academia pode ser uma realidade já em fevereiro, altura em que vai decorrer a reunião da FPF para fazer a sua apreciação”, confirmando que “estamos em consonância com a Câmara de Évora e vamos avançar”.

Recordou ainda que “fizemos o projeto num mês e terá de ser com toda a velocidade, esforço e todos unidos para que Évora tenha uma Academia, que é ultra necessária para que consigamos desenvolver o futebol e o futsal no nosso distrito”.

Quanto ao investimento previsto para esta obra, António Pereira avançou que “é de dois milhões de euros, comparticipando a FPF com 600 mil euros e a Câmara de Évora com o restante desse valor”.

Texto: Redação DS / Marina Pardal
Fotos: DS

Secção de comentários fechada.

Veja também

Aberta a fase de candidaturas para a 17ª Gala do Desporto do Alentejo Central

A CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central irá realizar a 17.ª Gala do Despor…