Embaixadores de 24 países na China visitaram a Região Autónoma Uigur de Xinjiang, manifestando ter ficado agradavelmente surpreendidos pelas realidades com que se depararam. “A Xinjiang que vimos com os nossos próprios olhos é completamente diferente da que os meios de comunicação ocidentais referem” – afirmou o Embaixador da República Dominicana, Martin Charles.

Ao longo de cinco dias, os diplomatas estrangeiros visitaram vários lugares, como Kashgar, Kuche e Urumqi, onde conheceram não apenas os costumes e as tradições locais, mas também o desenvolvimento socioeconómico desta região autónoma situada no Noroeste da China, e maioritariamente habitada pelos Uigures (um povo de origem turca, predominantemente muçulmano).

“A paisagem é muito bonita”, “as pessoas são muito calorosas”, “a economia é muito dinâmica” – eis alguns dos comentários que os embaixadores foram fazendo durante a viagem, sublinhando que “as pessoas devem vir conhecer localmente a verdadeira Xinjiang”.

Tal como Martin Charles, a maioria destes embaixadores estrangeiros ainda não tinham estado em Xinjiang, mas haviam sido alertados por grande número de relatos negativos publicados por órgãos de comunicação social ocidentais. Por isso o seu interesse em visitar aquela Região.

Ficaram a conhecer projectos de engenharia, locais de interesse paisagístico, cidades e ruas antigas, empresas industriais

“Vimos projectos hídricos e agrícolas, zonas de comércio livre, aeroportos, atracções turísticas e culturais. Conversámos com as populações locais. E concluímos que Xinjiang está a desenvolver-se bem” – afirmou o Embaixador da Nicarágua, Michael Campbell, salientando o rápido desenvolvimento económico de Xinjiang e a proteção dos direitos e liberdades das pessoas. E sublinhou: “A realidade é completamente diferente da situação dos ‘direitos humanos’ referida pelos media ocidentais”.

O embaixador iraniano na China, Mohsen Bakhtiar, destacou a moderna rede de irrigação que viu nos campos de algodão, as tecnologias avançadas que ali são utilizadas quer para as colheitas, quer para o tratamento dos campos com pesticidas através de drones, com significativos aumentos de produção. Uma situação bem diferente do “trabalho forçado” referido por alguma imprensa ocidental.

Além disso, os visitantes também se encontraram pessoalmente com o clero islâmico, cantaram e dançaram com o povo de Xinjiang e conheceram a sua vida quotidiana.

Nos últimos anos, cerca de 2 mil funcionários governamentais, figuras religiosas e jornalistas de mais de 100 países e organizações internacionais visitaram Xinjiang e testemunharam o desenvolvimento económico e social da Região.

No final desta visita, os 24 embaixadores exprimiram o seu agrado pelo que viram: uma Xinjiang bem diferente da que é descrita por alguma comunicação social do Ocidente.

Publicidade: Centro de Programas de Línguas da Europa e América Latina da China

Imagem: Por TUBS – Este desenho vetorial inclui elementos que foram usados ou adaptados de:, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=16493522

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Acidente durante exibição aérea no Beja AirShow

A Força Aérea lamenta profundamente comunicar a existência de uma vítima mortal de naciona…