O país e os calipolenses viram-se, novamente, confrontados com a notícia de um grave acidente no património público, desta vez, o incêndio no edifício do Cineteatro Florbela Espanca, em Vila Viçosa, no final da tarde do passado dia 31 de julho de 2023.

O edifício do Cineteatro Florbela Espanca, inaugurado em 1957, encontrava-se encerrado há cerca de catorze anos, decorrendo neste momento obras de requalificação, que foram iniciadas em 2022.

O Centro de Estudos – CECHAP, não pode deixar de se mostrar preocupado com a falta de atitude, por parte dos responsáveis, no acompanhamento e intervenção no património arquitetónico público.

É nossa opinião que as intervenções nesta tipologia de equipamentos, devem ser asseguradas por estudos exaustivos, onde a qualificação dos técnicos e dos operários sejam determinantes para a sua realização. Não podemos continuar a assistir a lacunas profissionais, a falhas desnecessárias, distanciadas dos seus objetivos de conservação do nosso Património coletivo. É urgente capacitar as empresas de obras públicas, dotando-as de plenos profissionais, com competência técnica nas diversas áreas de especialização. Importa que haja responsabilização nas suas competências, que interpretem as pré-existências dos espaços, que avaliem a substituição dos materiais e dos equipamentos a instalar, sempre e de acordo com o rigor e preocupação na salvaguarda de pessoas e bens. O resultado final de cada intervenção dependerá do respeito por princípios da defesa do Património e da qualidade das regulamentações impostas para sua implementação.

Conforme foi identificado pelas conclusões do último encontro nacional do Fórum do Património, realizado em 2022: «Os projetos de especialidade de empreendimentos envolvendo a reutilização de edifícios ou conjuntos históricos, sobretudo os de índole construtiva e estrutural, são frequentemente entregues a engenheiros ou engenheiros técnicos pouco atentos ao valor histórico-artístico das pré-existências e da envolvente ou, até, desconhecedores quer dos princípios a que devem obedecer tais intervenções, quer das técnicas tradicionais e de reduzida intrusividade. Recomendando, entre tantas outras: regulamentar as principais profissões das áreas dos saber-fazer tradicionais da construção e da conservação e restauro».

A Direção do CECHAP, solidariza-se com o executivo da Câmara Municipal de Vila Viçosa, para que este seja capaz de ultrapassar este momento difícil e encontrar uma solução eficaz, para que Vila Viçosa possa vir a ter o espaço do Cineteatro Florbela Espanca com a dimensão e dignidade que merece, ao serviço da Cultura e da região.

Fonte: Nota de Imprensa / CECHAP – Centro de Estudos de Cultura, História, Artes e Patrimónios
Foto: Hugo Calado (O Digital)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Saudação de Ano Novo à Arquidiocese de Évora

Saudação de Ano Novo pelo arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho …