O Presidente da República da Letónia, Egils Levits, que esteve em Portugal em visita oficial, deslocou-se, na passada sexta-feira, em Évora, tendo assistido à assinatura do Memorando de Entendimento entre as cidades de Évora e de Liepāja, ambas capitais europeias da cultura em 2027.

Depois, a comitiva, “conduzida” pelo técnico superior da edilidade, Gustavo Val-Flores, efetuou um pequeno passeio a pé pela cidade tendo visitado o Centro Interpretativo da cidade, no Palácio D. Manuel, a Igreja de S. Francisco, a Praça de Giraldo, a Igreja da Misericórdia e a Igreja da Graça, terminando na sede do Grupo Cantares de Évora onde, para além de poder apreciar a gastronomia alentejana, o chefe de estado letão pôde ainda escutar “a alma e o sangue” da região: Cante Alentejano.

Évora e Liepãja assinam Memorando

A visita do Presidente da República da Letónia a Évora fica ainda marcada pela assinatura, no Palácio D. Manuel, de um Memorando de Entendimento entre as cidades de Évora e de Liepãja, ambas capitais europeias da cultura em 2027.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, uma das consequências da assinatura deste documento é a concretização de “projetos comuns que criem e fortaleçam laços entre as nossas cidades e os nossos países para o futuro”.

Ao dirigir-se ao seu homólogo de Liepãja, o autarca de Évora lembrou que “uma feliz coincidência juntou Portugal e a Letónia na partilha da Capital Europeia de Cultura em 2027. Trabalho árduo e mérito reconhecidos juntam Évora e Liepãja e convidam à cooperação, ao conhecimento mútuo, à troca de experiências, ao enriquecimento comum, a fortes laços de trabalho e amizade”.

Perante uma plateia que incluía o Ministro da Proteção Ambiental e Desenvolvimento Regional, o Embaixador da Letónia em Portugal, a Embaixadora de Portugal na Letónia, representantes de diversas entidades públicas com sede na cidade, dirigentes autárquicos, entre outros, Carlos Pinto de Sá recordou que “o nosso projeto propõe à Europa o conceito de “vagar”. Com o “vagar”, ancorado na nossa identidade e de cariz universalista, queremos: – ser protagonistas da transformação ecológica, reequilibrando o Ser Humano, o Urbano e a Natureza, recentrando a arte, a cultura, o belo; – outro modo de vida para a Europa, valorizando-o com o modo de vida alentejano; – democracia participativa na construção de uma Europa dos Povos, da amizade e cooperação, da Paz”.

Liepāja, que tem o cognome de Cidade do Vento, propõe para 2027 o conceito de (un)rest (agitação) no seu projeto. Para o edil eborense, “uma leitura simplista poderia apontar alguma contradição entre estes dois conceitos. Ao contrário, entendemos esta dualidade como enriquecedora para a nossa cooperação e para a Europa”, frisou.

Autor: Redação DS

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Bairro Comercial Digital de Évora apresentado segunda-feira, dia 4 março

O consórcio liderado pelo Município de Évora, de que fazem parte a Associação Comercial do…