O volume do comércio externo da China ultrapassou pela primeira vez a marca de 40 triliões de yuans, mantendo a sua posição como o país líder do Mundo em transacções comerciais, que ocupa há seis anos consecutivos. O “Boletim Informativo” do comércio externo da China em 2022, lançado na passada sexta-feira (dia 13), reforçou ainda mais a confiança da comunidade internacional na economia chinesa.

De acordo com os dados divulgados pela Administração Geral das Alfândegas da China, o valor das transacções comerciais da China em 2022 atingiu o recorde de 42,07 triliões de yuans, um aumento de 7,7% em relação ao ano anterior. Em 2022, o risco de recessão global aumentou, o crescimento da procura externa diminuiu ao mesmo tempo que a pandemia aumentava em todo o Mundo. Ainda assim, o comércio externo da China superou as dificuldades e alcançou um avanço considerável, o que demonstra a sua capacidade para resistir a desafios arriscados e a sua vitalidade.

Aos que questionam de onde vêm a resiliência e a vitalidade do comércio externo da China, os analistas respondem que, do ponto de vista das exportações, os dois principais elementos, “mercado” e “produto”, foram fortemente cultivados. Por exemplo, nos últimos anos, a indústria automobilística de novas energias da China floresceu e a sua competitividade internacional aumentou significativamente. Dados da Associação de Fabricantes de Automóveis da China mostram que, de Janeiro a Novembro de 2022, as empresas automóveis chinesas exportaram 593 mil novos veículos deste tipo.

Em 2022, o “círculo de amigos” do comércio externo da China continuou a consolidar-se e a alargar-se. As exportações para a ASEAN, a UE e outros parceiros comerciais importantes mantiveram um crescimento rápido; as exportações para países integrados no programa “Uma Faixa, Uma Rota” cresceram 20%, impulsionando o crescimento global das exportações em 6,1 pontos percentuais.

Em termos de importações, o enorme mercado de procura interna da China foi um grande suporte. O PIB da China atingiu cerca de 870 mil milhões de yuan nos primeiros três trimestres de 2022, um aumento de 3% em relação ao ano anterior. A economia está a crescer constantemente e os consumidores têm confiança e fazem compras.

Além disso, o sólido desempenho do comércio externo da China também se deve ao forte apoio de políticas favoráveis.

Sob a epidemia, o comércio externo da China, com a sua forte capacidade de produção e completa cadeia de abastecimento, deu um importante contributo para o comércio global e para a recuperação da economia mundial. Actualmente, a quota de mercado internacional das exportações da China atinge 14,7%, ocupando o primeiro lugar no mundo desde há 14 anos consecutivos. Ao mesmo tempo, a China tem sido o segundo maior importador mundial durante 13 anos consecutivos. Este é um reflexo da competitividade abrangente do comércio externo da China e um voto de confiança dos consumidores globais ao comércio externo da China.

O comércio externo é um barómetro da economia, e o conteúdo do boletim informativo do comércio externo da China em 2022 mostra que a economia chinesa é resistente, com grande potencial e vitalidade, e que os fundamentos de melhoria a longo prazo não mudaram. À medida que a prevenção e controlo da epidemia na China entra numa nova fase, uma série de instituições internacionais de investimento aumentaram as suas previsões para o crescimento económico da China em 2023

Em 2023, com grande dinâmica, o comércio externo da China ajudará a economia chinesa a crescer de forma acelerada e continuará a ser um importante motor de crescimento para a economia mundial.

Conteúdo Institucional – Ibéria Universal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Milhões de pessoas em todo o Mundo assistiram à Gala do Festival da Primavera

Tradição e inovação caracterizaram a Gala do Festival da Primavera, assinalando a chegada …