3º dia do Imaterial apresenta o encontro entre a cantora bretã Annie Ebrel e o contrabaixista italiano Riccardo Del Fra seguido dos sons do país basco com os Verde Prato

Pelas 18h00 no Teatro Garcia de Resende, Mário Lúcio de Sousa leva a debate o Manifesto a Crioulização, uma poética de partilha para multiplicarMúsico, escritor e pensador essencial da cultura cabo-verdiana, Mário Lúcio Sousa é o autor deste Manifesto a Crioulização, no qual defende que todos os povos e todos os indivíduos são crioulos, uma vez que as evidências antropológicas apontam para múltiplas raízes na genealogia de cada habitante do planeta. Em defesa do conceito de “crioulização”, o manifesto defende uma identidade complexa e miscigenada, por oposição às tendências de demarcação de territórios pretensamente puros. É este o debate que o Imaterial vai proporcionar.

Às 21h30 no Teatro Garcia de Resende, sobem ao palco a cantora bretã Annie Ebrel e o contrabaixista italiano Riccardo Del Fra. O encontro entre a cantora bretã Annie Ebrel e o contrabaixista italiano Riccardo Del Fra aconteceu em 1996 e, pouco depois, esta incomparável união musical ficaria eternizada no álbum Voulouz Loar. A recente reedição do álbum leva-nos agora à redescoberta de um mundo delicado e inebriante. Annie Ebrel & Riccardo Del Fra integram a Temporada Portugal França 2022 à qual o Imaterial se associa desta forma.

A noite encerra com as vozes dos Verde Prato. A voz está no centro de Verde Prato. É um projeto a solo de Ana Arsuaga, e uma das mais originais e encantadoras revisitações musicais da tradição oral do País Basco que junta, como se sempre tivesse sido assim, cantos populares e cantos litúrgicos, melodias escutadas a antepassados distantes no tempo e uma eletrónica que é contemporânea sem fazer disso um manifesto. Com a particularidade que escolhe o euskera como língua para a sua criação. Verde Prato, contam com o apoio da Acción Cultural Española (AC/E), do Programa para la Internacionalización de la Cultura Española (PICE) e da Movilidad.

 
 A 2ª edição vai integrar concertos, um ciclo de cinema documental, conferências e o Encontro Ibérico de Música que reúne artistas portugueses e espanhóis. Auditório Soror Mariana, Claustros da Fundação INATEL, Palácio Dom Manuel e Teatro Garcia de Resende são os espaços que vão receber esta edição. Um festival, de acesso gratuito, que dá vida à expressão “património pensado e vivido” e que durante uma semana disponibiliza uma programação cultural alargada e eclética na cidade que, desde 1986, é Património Mundial Unesco.

A programação completa pode ser consultada em http://festivalimaterial.pt/.

Fonte: Nota de Imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Rodrigo Leão, 23 Fevereiro, no Pax Júlia Teatro Municipal em Beja

Piano Para Piano é o novo álbum de Rodrigo Leão. Um trabalho que assinala um feliz encontr…