A Feira de São João volta a animar Évora ao longo destes dias, com propostas para todos os gostos. Entre 23 de junho e 3 de julho, o certame constitui um ponto de encontro para os eborenses, quer aqueles que cá vivem, quer para os que partiram para outras paragens; ao mesmo tempo que atrai a visita de muitos forasteiros.

Para além da feira tradicional, há uma parte importante ligada às atividades económicas e setor institucional, mantendo ainda viva a componente agrícola e pecuária. Sem esquecer os espetáculos musicais, as exposições, o artesanato, as tasquinhas, as diversões, a tauromaquia ou as atividades desportivas.

CCDR do Alentejo divulga projetos desenvolvidos na região

A mostra institucional também é um dos pontos fortes da Feira de São João, com a participação de muitas entidades deste território. Exemplo disso é a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, que dá a conhecer o trabalho que tem vindo a realizar na região.

Carmen Carvalheira, vice-presidente da CCDR do Alentejo, começou por salientar que “a sede da Comissão de Coordenação é em Évora e portanto faz todo o sentido que marque presença na Feira de São João, um evento de identidade da cidade, mas também da região”.

Destacou que “estão presentes expositores de toda a região e quase todos são, direta ou indiretamente, parceiros da própria CCDR”, comentando que, “por isso, também é muito importante a nossa presença”.

Segundo Carmen Carvalheira, “há uma preocupação crescente da CCDR do Alentejo em ter esta presença nas feiras e que o stand seja capaz de passar às pessoas aquilo que é a missão da CCDR e os projetos em que está envolvida”, sublinhando “sempre a questão do desenvolvimento do território”.

Especificou que “a CCDR do Alentejo está envolvida em projetos absolutamente transversais em termos de governação regional”, exemplificando que “tem projetos de mobilidade, de economia circular, está a criar uma estratégia de adaptação às alterações climáticas, é parceira de projetos de dieta mediterrânica, entre muitos outros”.

Para além disso, Carmen Carvalheira frisou ainda que “tem a missão de se ligar em termos transfronteiriços com os nossos vizinhos espanhóis e também aqui isso está presente”, adiantando que “há também a preocupação de termos um espaço onde se possam fazer debates ou ter convidados para falar sobre os diferentes temas da intervenção e da governação regional”.

De acordo com a mesma responsável, “marcamos presença em todas as outras feiras da região, dentro do possível, sempre nesta missão de conseguirmos passar às pessoas aquilo que fazemos e aquilo que é a intervenção da CCDR do Alentejo no território”.

NERE organiza este ano a Mostra das Atividades Económicas

A Mostra das Atividades Económicas, organizada este ano pelo NERE – Núcleo Empresarial da Região de Évora, foi inaugurada na passada segunda-feira, na presença do presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá.

Em declarações ao Grupo Diário do Sul, Rui Espada, presidente da Direção do NERE, recordou que “estamos a retomar este certame ao fim de dois anos de paragem”, especificando que, “este ano, coube ao NERE organizar a mostra empresarial”.

Na sua perspetiva, “as pessoas estavam ansiosas por haver esta feira, nomeadamente os empresários”, afirmando que “facilmente conseguimos captar os empresários para estarem presentes na feira”.

O mesmo responsável frisou que “conseguimos montar uma feira desta dimensão com os nossos próprios recursos”, evidenciando que “é sempre um trabalho árduo, mas temos uma equipa fantástica”.

Para Rui Espada, “nota-se que a população tinha vontade de voltar a estas feiras, o que é bom para quem está a expor e a apresentar os seus produtos e serviços”, considerando que “é mais uma vantagem, pois terá mais oportunidades de negócio”.

Acrescentou ainda que “há situações em que quem está a expor faz logo negócio, noutros casos estabelecem-se novos contactos”.

Nesse sentido, o presidente da Direção do NERE reiterou que “as expectativas são de que os próximos dias sejam ainda melhores e que todos fiquem satisfeitos”, reforçando que “é isso que esperamos e é para isso que trabalhamos todos os dias”.

Instituições marcam presença no certame

O Rossio de S. Brás volta a ser o “palco” deste evento, tal como aconteceu a 24 de junho de 1569, data em que terá sido realizada a primeira Feira de São João em Évora.

Ao percorrer este recinto, encontram-se diferentes organizações a mostrar as atividades que desenvolvem, desde associações a autarquias, passando pelas diversas entidades presentes, como é o caso da EPRAL – Escola Profissional da Região Alentejo ou da Universidade de Évora.

Autor: Redação DS / Marina Pardal
Fotos: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Associação Évora 2027 realiza primeira Assembleia Geral e aprova estatutos, consolidando o caminho rumo a 2027

Na primeira reunião de Assembleia Geral, realizada em Évora, a Associação Évora 2027, resp…