A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), através da sua Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal (UNIIC), realizou, na última semana, no município de Loulé, uma ação de fiscalização direcionada ao comércio de espécimes que estão protegidas ambientalmente pela Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES).

Como resultado desta ação, foi instaurado um processo crime de danos contra a natureza, por suspeita de venda ilegal de espécimes protegidas da fauna ou da flora selvagem sem o respetivo certificado CITES.

A ASAE apreendeu 14 espécimes de 6 espécies protegidas, designadamente, 3 espécimes de crocodilos de 2 espécies, 4 cavalos-marinhos, 4 corais brancos, 1 concha rainha e 2 mandíbulas de raia viola, que estavam a ser transacionados pelo valor total de € 1.815,00, assim como documentação diversa, incluindo 2 cópias de certificados comunitários CITES, por suspeita de falsificação.

Esta ação contou com a colaboração do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), na qualidade de perito.

No decurso da presente diligência, procedeu-se à constituição de 1 arguido, sujeito a Termo de Identidade e Residência.

Fonte: Nota de Imprensa / Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Operação “Thunder 2021” – Proteção da Vida Selvagem

Portugal participou na Operação “Thunder 2021”, durante o mês de outubro, realizando ações…