Aljustrel, Arraiolos e Sines são os três municípios alentejanos que se encontram em risco muito elevado de contágio de covid-19. Já na lista de risco elevado, no que diz respeito ao Alentejo, estão os concelhos de Avis, Elvas, Montemor-o-Novo, Santiago do Cacém, Serpa e Vila Viçosa.

Esta atualização foi feita na passada quinta-feira na reavaliação semanal da taxa de incidência concelhia em todo o território continental, durante o Conselho de Ministro.

Segundo a página de internet do Governo referente à covid-19 (“Estamos On”), há ainda seis municípios alentejanos (Almodôvar, Beja, Cuba, Évora, Moura e Odemira) “em alerta por registarem pela primeira vez uma taxa de incidência superior aos limiares definidos”. No total, são 29 concelhos nesta situação, aplicando-se aos mesmos as medidas que vigoram a nível nacional.

De acordo com a mesma fonte, a nível de Portugal Continental, “há 61 concelhos de risco muito elevado (com uma taxa de incidência superior a 240 casos por cem mil habitantes nos últimos 14 dias ou 480 se forem concelhos de baixa densidade)”.

Acrescentou ainda que, em todo o território continental, “há 55 concelhos de risco elevado (aqueles que registam, pela segunda avaliação consecutiva, uma taxa de incidência superior a 120 casos por cem mil habitantes nos últimos 14 dias ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade)”.

Recorde-se que nestes dois grupos há medidas de controlo da pandemia mais apertadas, nomeadamente “a limitação da circulação na via pública a partir das 23 horas”.

Entre outras medidas, destaca-se que “os restaurantes podem funcionar até às 22h30, mas às sextas-feiras a partir das 19h00 e aos sábados, domingos e feriados, durante todo o dia, o acesso a restaurantes para serviço de refeições no interior está permitido apenas aos portadores de certificado digital ou teste negativo”.

Quanto à limitação do número de pessoas por mesa “mantém-se o máximo de quatro pessoas por mesa no interior e de seis pessoas por mesa na esplanada”, no caso dos concelhos de risco muito elevado.

Onde o risco é elevado, “a limitação do número do número de pessoas por mesa é no máximo de seis pessoas por mesa no interior e de dez pessoas por mesa na esplanada”.

Há também restrições no horário dos estabelecimentos comerciais. Para o grupo do risco muito elevado, “o comércio a retalho não alimentar e prestação de serviços funciona até às 21h00 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados; enquanto o comércio a retalho alimentar está aberto até às 21h00 durante a semana e até às 19h00 ao fim de semana e feriados”.

No caso do grupo de risco elevado, “o comércio a retalho alimentar, não alimentar e prestação de serviços está em funcionamento até às 21 horas”.

Contudo, na nota emitida pelo Conselho de Ministros, é realçado que “grande parte do país continua abrangida pelas medidas de desconfinamento que entraram em vigor a 14 de junho”.

Entre as medidas que vigoram, evidencia-se “a exigência de certificado digital ou teste negativo para o acesso a estabelecimentos turísticos e de alojamento local; restaurantes, cafés e pastelarias (máximo de seis pessoas no interior ou dez pessoas em esplanadas) até à meia-noite para admissão e 1h00 para encerramento; ou comércio com horário do respetivo licenciamento”.

Autor: Redação DS / Marina Pardal
Foto: DS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

ULSBA adjudicou obra para construção da Extensão de Saúde de Rio de Moinhos

Após o lançamento do concurso público para a construção da Extensão de Saúde de Rio de Moi…