Será que as tecnologias de comunicação aplicadas às áreas da saúde e do bem-estar podem melhorar a vida das pequenas comunidades europeias mais isoladas? É esta a questão que Victoria Ramos, Cientista Investigadora Sénior da Unidade de Telemedicina do Instituto de Saúde Carlos III, procura responder no projeto MELTIC (Pote de Ideias para TIC e Ciências da Saúde para o Cidadão em pequenas comunidades). O projeto é financiado através de um convite à apresentação de propostas no âmbito do projeto europeu de ciência aberta ORION e é gerido pela Subdireção de Projetos de Pesquisa Internacional do ISCIII.

O objetivo do projeto MELTIC é incorporar a metodologia de cocriação nas atividades de investigação em TIC nas áreas da saúde e biomedicina para que se tornem mais abertas, transparentes e acessíveis, aumentem o seu impacto social e, assim, contribuam para a melhoria da qualidade de vida dos Cidadãos europeus em pequenas comunidades.

A metodologia de cocriação aplicada à investigação em Saúde e Bem-estar e Tecnologias de Informação e Comunicação tem-se revelado um instrumento válido para estudar a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos europeus em pequenas comunidades.

Neste trabalho estão interligados vários desafios com que se confrontam as políticas europeias, tais como despovoamento, saúde, envelhecimento ativo, educação, juventude e alterações climáticas, e é efetuada investigação no sentido de identificar as necessidades atuais e futuras destes cidadãos com o propósito de inovar a utilização de espaços públicos existentes e / ou a construção de novos.

O projeto tem sido realizado graças à realização de workshops transnacionais de cocriação, nos quais participaram membros de pequenas comunidades com perfis locais relacionados com a saúde e bem-estar (pacientes, pais, médicos, enfermeiras, associações de vários tipos e decisores) no Município de Reguengos de Monsaraz (Portugal)Município de La Palma del Condado (Espanha)Município de Mirabello (Italy) e Associação TIMIS TOROTAL BARZAVA (Roménia)

Dois resultados principais surgiram do projeto, um manual de 100 ideias para pesquisa de TIC em Saúde e Biomedicina nessas comunidades e também, foi desenvolvida uma proposta tecnológica como modelo de cooperação nas comunidades rurais.

O estudo proposto pelo MELTIC, em conjunto com as contribuições dos profissionais, também irá facilitar a identificação dos potenciais impactos das novas ideias de investigação, bem como a compreensão das oportunidades e riscos que ainda não foram sistematicamente comparados, discutidos e avaliados. Uma experiência ou análise de longo prazo ainda não existe, o que significa que uma avaliação final sobre as implicações das TIC em pequenas comunidades exigirá um estudo mais aprofundado num futuro próximo. Devido ao rápido desenvolvimento e aplicação das novas tecnologias, existe uma necessidade permanente de acompanhamento e apoio ao trabalho dos seus investigadores, desenhadores urbanos e agentes sociais. A análise das partes interessadas e as informações fornecidas diretamente do local de trabalho dos parceiros MELTIC definem o contexto para o processo de cocriação.

Pesquisa em saúde e bem-estar através das TIC

Este trabalho levanta a questão de como usar as tecnologias inteligentes para transformar os espaços públicos das pequenas comunidades em ambientes humanos amigáveis ​​para as pessoas. A estrutura é desenhada em torno da relevância da cocriação inclusiva e multidisciplinar e apresenta a importância do desenvolvimento integral. É apresentada uma proposta técnica num modelo de cooperação dos cidadãos das pequenas comunidades rurais. Esta cooperação irá ajudar-nos a entender melhor as (potenciais) interações.

O diálogo e as conexões entre as pessoas (enquanto usuários) com o mundo real e virtual também abre novas exigências de conhecimentos avançados, não apenas em novas formas de recolha de informação, mas também na forma de interpretar os dados recolhidos. Além disso, existe a necessidade adicional de gerir e disseminar o conhecimento adquirido. O MELTIC analisa o uso e o desenvolvimento atual da eletrônica, tecnologia da informação e telecomunicações e a relevância que eles têm no dia a dia, agregando novas informações quase todos os dias.

Processos de cocriação durante a pesquisa

A eficácia de qualquer esforço feito na promoção da saúde e do bem-estar depende da sua capacidade de atingir e comprometer o objetivo pretendido. As novas ferramentas de tecnologia da informação (TI) podem ser uma ajuda importante, adaptando a intervenção e o quadro de ação de acordo com as necessidades relevantes.

É, por isso, importante e necessário introduzir processos de cocriação que se desenvolvam, como neste caso, através de um modelo participativo [1], [2].

No projeto MELTIC, o processo de cocriação foi desenvolvido da seguinte forma. Os Workshops ocorreram nos formatos físico e virtual, dependendo da situação de saúde de cada comunidade devido à pandemia COVID-19, e foram baseadas nas seguintes etapas:

•. Um processo para explorar temas interligados

•. Uma fase de conceptualização conjunta

•. Uma fase de contribuição

•. Visualização das ideias finais

Os perfis dos participantes nas atividades de cocriação estão representados a seguir no Diagrama 2:

Nestes Workshops, cada município identificou problemas nas áreas de saúde, oportunidades e soluções para a sua região. As ideias foram então reunidas como um mapa de palavras para descobrir as respetivas palavras-chave.

Seguidamente, podem ser vistos sob a forma de nuvens de palavras em que as ideias repetidas são apresentadas com tamanhos diferentes, com destaque para as palavras-chave. Estes workshops permitiram-nos encontrar novas ideias, ao mesmo tempo que nos familiarizamos com as ideias de outras pessoas e com os diferentes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável apresentados no Diagrama 4.

Proposta tecnológica: Digital eXperience Platform (DXP)

A plataforma MELTIC DXP é definida como uma infraestrutura TIC baseada em arquitetura de entrada livre distribuída seguindo padrões internacionais, implantada num ambiente virtual permitindo a independência entre serviços e hardware, e fornecendo um serviço com alto nível de disponibilidade, flexibilidade, escalabilidade e segurança. A infraestrutura de TI, ao nível das linhas de comunicação e armazenamento massivo, será redundante, sendo disponibilizados todos os elementos de segurança e acesso seguro de forma a evitar falhas de serviço e acessos não autorizados.

As funcionalidades da plataforma são concebidas como componentes modulares e/ou micros-serviços, com interfaces abertos, baixo acoplamento e elevada coesão, que proporcionarão segurança e elevada escalabilidade nos serviços prestados. Essencialmente, a arquitetura de micros-serviços implica o desenvolvimento de software como um conjunto de pequenos serviços modulares com processos únicos, cuja implementação é independente e que se comunicam por meio de um mecanismo simples e bem definido.

  • Acesso geral
  • Espaço pessoal para utilizadores registados
  • Gestão de atividades
  • Gestão de perfis / preferências
  • Boletins informativos, relatórios
  • Repositório de links da web para recursos externos de multimídia
  • Gestão de recursos digitais (inclusão, confirmação de links, etc.)

Manual

As ideias geradas durante o workshop de cocriação foram reunidas num Manual de 100 Desafios para Saúde e Bem-estar em áreas rurais.

Os parceiros realizaram um estudo exploratório entre as partes interessadas e as suas áreas de trabalho, assim como analisaram os aspetos espaciais e sociais em comunidades pequenas e isoladas que poderiam ser enriquecidas pelas TIC.

Conclusões

Devido ao rápido desenvolvimento das tecnologias e da sua aplicação, existe uma necessidade permanente de monitorizar e apoiar o trabalho dos investigadores das TIC, dos desenhadores urbanos e agentes sociais. Portanto, a análise realizada pelos participantes do MELTIC, destacou o fato de que o uso de tecnologias inteligentes em espaços públicos está a criar formas cada vez maiores de interação e práticas sociais, além de criar novas relações socio-espaciais e promover interações e comunicação entre comunidades isoladas e dispersas.

“Novos cenários de relacionamento impulsionam a necessidade de repensar as práticas sociais e o uso dos espaços públicos, que, por sua vez, também podem influenciar o desenvolvimento das TICs e os seus dispositivos”

Estes novos cenários de relacionamento impulsionam a necessidade de repensar as práticas sociais e o uso dos espaços públicos, que, por sua vez, também podem influenciar o desenvolvimento das TICs e os seus dispositivos. As intervenções baseadas em sites desempenham um papel fundamental na promoção e supervisão de cuidados de saúde e sociais.

Referências

[1] Giorgi Rossi et al. “Using Cocreation to Dene Contents and Functions of a Smartphone App for Obesity Prevention in Childhood: Mixed Method Study Describing the Process.” JMIR Mhealth Uhealth 2020 Feb 21. PMID: 32357123 DOI: 10.2196 / 16165

[2] Linda Mansson et al. “Co-creation with older adults to improve user experience of a smartphone self-test application to assess balance function” Int. J. Environ. Res. Public Health 2020, 17 (11), 3768; https://www.mdpi.com/1660-4601/17/11/3768

MELTIC project of Intituto de Salud Carlos III, with file TMPY 182/20, is founded through the European project ORION (Open Responsible research and Innovation to further Outstanding kNowledge), having won the open call for proposals: “Novel co-creation initiatives to open up research in life sciences and biomedicine” within the European Union’s Horizon 2020 research and innovation program

O projeto MELTIC do Intituto de Salud Carlos III, com o arquivo TMPY 182/20, é criado através do projeto europeu ORION (Open Responsible research and Innovation to further Outstanding kNowledge), tendo vencido o convite à apresentação de propostas: “Novas iniciativas de cocriação para abrir a pesquisa em ciências da vida e biomedicina” dentro do programa de pesquisa e inovação Horizonte 2020 da União Europeia

Os autores do projeto MELTIC são: Victoria Ramos, Andrés Dochao, Roberto D´Amico, Gregory Duta e Anabela Caeiro.

ORION recebeu financiamento do programa de investigação e inovação Horizonte 2020 da União Europeia ao abrigo do acordo de subvenção n.º 741527. 

Autor: VICTORIA RAMOS E IRIS SAN PEDRO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

DARK SKY® ALQUEVA conquista mais um prémio internacional

2021 não começou da melhor maneira para o turismo e mais de seis meses após o início do an…