O Aeródromo Municipal de Évora foi palco, esta segunda-feira, de um exercício à escala total que visou, em termos gerais, treinar a capacidade de intervenção operacional dos meios de socorro internos, em cenário de acidente aéreo no Aeródromo. Este exercício teve ainda como objetivos: treinar a interligação de intervenção operacional entre os meios de socorro internos e externos; treinar internamente os procedimentos internos a observar em caso de emergência no aeródromo; testar as plataformas de comunicação internas e testar a operacionalização das rotinas de comunicação do Aeródromo com os agentes externos de socorro.

“Às 09h00, ao realizar a manobra de aterragem no Aeródromo Municipal de Évora, uma aeronave, após ter recebido as devidas indicações do AFIS da torre do aeródromo de Évora, realiza uma aproximação à pista com velocidade acima do previsto para esta manobra e fora de angulo de aterragem. Esta situação leva ao colapso do trem de aterragem e ao consequente desgoverno da aeronave, acabando esta por embater, em primeira linha na pista com violência saindo de pista posteriormente e embatendo depois no trabalhador que se encontrava a fazer corte de erva através de roçadoura, que servia de apoio a trabalhos de manutenção. Este embate acabou por provocar um foco de incendio no exterior no pasto seco adjacente devido ao calor e aos equipamentos se encontrarem quentes. A aeronave contava com dois ocupantes a bordo, tendo ambos ficado encarcerados dentro da mesma o trabalhador ficou caído no exterior devido ao embate da aeronave”.

De acordo com a regulamentação em vigor para o setor, os aeródromos estão obrigados à realização de um Exercício à Escala Total bienalmente, e sempre que disponham de um novo Plano de Emergência. O último Exercício à Escala Total realizado no Aeródromo Municipal de Évora ocorreu no dia 23 de julho de 2019, sendo que, por conta da situação de pandemia por COVID-19, ainda em desenvolvimento, não fora possível antes a preparação e realização deste exercício.

A concretização de um “Exercício à Escala Total”, para além de dar cumprimento a um requisito legal, reveste-se de particular importância como ferramenta de desenvolvimento da capacidade de reação de um aeródromo a um eventual acidente que ocorra nas suas infraestruturas.

Neste exercício, para além da equipa de intervenção e direção do aeródromo municipal, estiveram envolvidos os seguintes elementos: Serviço AFIS – Serviço de Informação de Voo do Aeródromo Municipal de Évora; BVE – Bombeiros Voluntários de Évora; PSP – Polícia de Segurança Pública – Évora; SMPC – Serviço Municipal de Proteção Civil de Évora; ANEPC/CDOS ÉVORA – Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil / Comando Distrital de Operações de Socorro de Évora e INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica.

Fonte / Foto: Município de Évora – Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Segredos do Teatro Garcia de Resende revelados em ciclo de seis visitas guiadas e encenadas

Com a duração de duas horas, as visitas organizadas pela Câmara de Évora são gratuitas e e…