O Projeto “LIFE Água da Prata” foi apresentado no passado dia 27 de maio, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Évora. A vice-presidente Sara Dimas Fernandes fez a apresentação geral com a colaboração do vereador Alexandre Varela perante uma plateia de representantes de diversas instituições do concelho ligadas à educação, cultura e ambiente. Os técnicos municipais explicaram detalhadamente as várias componentes do projeto, incluindo os objetivos, as necessárias ações preparatórias, a implementação no terreno, e o posterior acompanhamento com monitorização dos resultados.

O Projeto “LIFE – Água da Prata”, cujos trabalhos deverão ter início nos próximos dias, resultou de uma iniciativa da Câmara Municipal de Évora que tem como objetivo substituir a água tratada usada na rega de grande parte dos espaços verdes da cidade, por água proveniente de nascentes e captações naturais, transportada através do aqueduto. Assim será minimizado o impacto da utilização da água tratada da rede pública, com os decorrentes benefícios ambientais e económicos. Para este efeito, o projeto prevê a realização de obras de conservação no aqueduto, sendo garantido que o monumento não será minimamente afetado na sua traça original. A água continuará a ser transportada por gravidade, respeitando os métodos originais.

A água a utilizar na rede de rega será a que provém das nascentes e dos poços da Graça do Divor, que atualmente não é aproveitada, sendo para tal necessário proceder à respetiva limpeza e reabilitação.

Na cidade, será construída uma rede de condutas destinada exclusivamente a distribuir a água do aqueduto por grande parte dos jardins e espaços verdes. O projeto prevê também a construção de um reservatório de 1.000 m3, que terá como função regularizar o caudal e pressurizar a referida rede. Paralelamente, irão também funcionar dois pequenos sistemas de rega autónomos no jardim das Corunheiras e junto à Av. de Lisboa. Nestes sistemas irá utilizar-se a água de poços existentes nos jardins, em substituição da água tratada da rede pública, e também bombas de rega acionadas por energia solar.

O projeto “LIFE – Água da Prata” inclui ainda ações que visam adaptar estruturalmente alguns espaços verdes da cidade, para melhor resistirem a ondas de calor e fenómenos de precipitação extrema. Os trabalhos incluem plantações de árvores nos jardins para aumento do ensombramento, melhorando assim as condições microclimáticas dos jardins no verão, proporcionando um ambiente mais fresco e também menor necessidade de rega. Na ribeira da Torregela, que atravessa uma área urbana considerável, serão realizados trabalhos para melhoria da qualidade da água e reforço das margens com soluções naturais: utilização de pedra para a respetiva sustentação e adensamento de árvores e arbustos. As plantações nos jardins e nas margens da ribeira serão feitas com espécies nativas, mais resistentes e melhor adaptadas ao clima da região. Com estas ações, será possível transformar gradualmente os jardins, tornando-os mais próximos do estado natural, e ainda poupar água e promover o aumento da biodiversidade em meio urbano.

Impactos positivos previstos:

  • Poupança de água tratada e redução da ameaça ao consumo humano: 120.000 m3/ano;
  • Redução do consumo energético em bombagem de água, já que 50% das áreas verdes serão abastecidas por gravidade: redução de 2,16 ton/ano de emissões CO2;
  • Aumento de ensombramento e de condições microclimáticas positivas: 10.100 m2;
  • Aumento da resiliência a inundações abrangendo 45% dos espaços verdes urbanos: 187.517 m2;
  • Aumento da resiliência/proteção de margens de ribeiros a fenómenos de precipitação extrema: 800 metros de linha de água urbana;
  • Redução adicional do consumo de água para rega com outras medidas de eficiência: 30.000 m3/ano.

A maior parte das condutas será instalada em áreas verdes ou terrenos livres. Contudo, nalguns locais será necessária a sua implantação junto a rodovias, estando previsto ações pontuais de condicionamento do trânsito nalgumas zonas da cidade. Nestes casos a Câmara Municipal irá divulgar atempadamente avisos pelos meios habituais.

O Projeto “LIFE – Água da Prata” integra a estratégia global do município para tornar Évora uma cidade mais sustentável, amiga do ambiente, e melhor preparada para enfrentar os efeitos nocivos das alterações climáticas que cada vez mais se vão fazendo sentir. Neste âmbito entrecruzam-se outros projetos ambientais em curso como o Pocityf – Positive Energy CITY Transformation Framework, o Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora, as Eco Escolas, as Ementas Sazonais Mediterrânicas, o Km0, o Plano Municipal de Mobilidade Urbana Sustentável, o Plano Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas ou a Reflorestação do Alto de S. Bento.

Com um orçamento total de 1.354.352 €, este projeto foi candidatado pelo Município de Évora aos apoios comunitários da União Europeia, tendo obtido cofinanciamento a 60% através do Programa LIFE da União Europeia.

Fonte / Foto: Município de Évora – Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Segredos do Teatro Garcia de Resende revelados em ciclo de seis visitas guiadas e encenadas

Com a duração de duas horas, as visitas organizadas pela Câmara de Évora são gratuitas e e…