O Teatro Garcia de Resende (TGR) reabriu no dia 1 de junho com o acolhimento do espetáculo de abertura da 15.ª edição da Bienal de Marionetas de Évora que, este ano, devido à pandemia, se restringe à participação de companhias nacionais.

Coube à companhia Fio D’Azeite – Marionetas do Chão de Oliva, de Sintra, com a representação de “Rei Ubu”, voltar a fazer subir as artes do espetáculo ao palco do centenário Garcia de Resende.

A anteceder a primeira das 78 sessões que compõem o calendário de espetáculos da BIME, Carlos Pinto de Sá, presidente da Câmara Municipal de Évora, dirigiu-se à plateia manifestando enorme satisfação “por voltarmos a ter o Teatro disponível para estes grandes eventos” e pela sua “devolução” à população eborense após a conclusão das obras. José Russo, diretor do Centro Dramático de Évora, entidade que organiza a bienal, agradeceu o apoio da autarquia na realização do evento.

Recorde-se que a requalificação do TGR incidiu na melhoria da segurança, funcionalidade e conforto, centrada na segurança contra incêndios, estabilidade estrutural, redes de água e esgotos, eletricidade e ventilação. A intervenção agora concretizada permite adequar a centenária sala de espetáculos às exigências dos tempos atuais, constituindo-se, também, como inegável mais-valia no contexto da candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura 2027.

Conheça toda a programação em www.bime.pt

Fonte / Foto: Município de Évora – Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

A MARGEM DO TEMPO de Franz Xaver Kroetz em Évora

Num espectáculo de final de carreira, aos 80 anos de palco, com texto de Franz Xaver Kroet…