Para assinalar o Dia Mundial da Asma, celebrado a 4 de maio, a Mundipharma, com o apoio da APA – Associação Portuguesa de Asmáticos – e da SPAIC – Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica vão promover uma campanha digital, com o propósito de sensibilizar a população para a patologia.

“Num só Fôlego” é o mote da iniciativa que convida todas as pessoas que sofrem de asma a testemunhar o impacto da doença na sua qualidade de vida.

A 4 de maio, o desafio lançado a todos os doentes asmáticos portugueses na página de Facebook www.numsofolego.com, convidará essa comunidade a gravar um vídeo onde devem soprar num balão e de seguida, partilhar o impacto que esta doença crónica introduz na sua rotina. Adicionalmente, algumas figuras públicas vão associar-se à campanha, gravando um vídeo semelhante, com o propósito de sensibilizar para as limitações que condicionam a vida de uma pessoa com asma.

“A dinamização desta campanha nas redes sociais ajudará a promover a consciencialização para o impacto da asma na qualidade de vida de uma pessoa e reforçar a importância de um diagnóstico precoce. Pretendemos alertar para os sintomas e incentivar mais portugueses a consultarem o médico se identificarem algum destes sinais” afirma Mário Morais de Almeida, presidente da APA.

Adicionalmente, Manuel Branco Ferreira, presidente da SPAIC, reforça que “um controlo adequado da asma permite a manutenção de uma vida normal, sem limitações. É necessário sensibilizar os doentes asmáticos para a importância da adesão à terapêutica, essencial para travar a evolução da patologia. Este tipo de iniciativas serve também para reforçar estas mensagens junto da comunidade”.

Sobre a Asma

Estima-se que a doença afete 700 mil portugueses, o que representa 6.8% da população nacional.

É uma patologia crónica obstrutiva das vias aéreas, que condiciona a contração dos músculos brônquicos, resultando na limitação do fluxo do ar que garante o funcionamento do sistema respiratório. Desencadeada por mecanismos de hiper-reactividade extrema a certos estímulos, como ao contacto com ácaros, poléns e ao fumo de tabaco, por exemplo, é uma condição que pode provocar dispneia, dificuldade em respirar, respiração acelerada e intolerância ao esforço.

Em termos de gravidade, a asma pode ser ligeira ou atingir formas muito graves, sendo uma das doenças que mais contribui para a perda de qualidade de vida dos seus portadores. Adicionalmente, está associada a uma elevada taxa de internamentos e a um significante consumo de recursos de saúde. Contudo, apesar de ser incurável, a asma pode ser controlada através de tratamentos que procuram garantir a estabilidade da inflamação, diminuir o grau de limitação do fluxo aéreo e minimizar o risco de possíveis exacerbações.

Sobre a Mundipharma

A rede global de empresas independentes associadas da Mundipharma foi fundada por médicos, em 1956, e opera atualmente em mais de 120 países, em todo o mundo. Estamos focados no desenvolvimento de parcerias para identificar e acelerar tecnologias significativas, num portfólio cada vez mais diversificado de áreas terapêuticas que incluem as patologias respiratórias, metabólicas, oncológicas, dor e biossimilares. Alinhados com a nossa herança empresarial, gostamos de pensar que vemos o que os outros não alcançam, desafiando o conhecimento convencional com perguntas diferentes e ousadas. Ao trabalharmos em parceria com todas as entidades interessadas, a rede Mundipharma desenvolve medicamentos que criam valor para os doentes, pagadores e sistemas de saúde.

Sobre a Associação Portuguesa de Asmáticos:

Legalizada em maio de 1995, a APA foi criada por um grupo de doentes asmáticos, com o auxílio de médicos especialistas (imunoalergologistas e pneumologistas).

Como objetivos, a Associação pretende chamar a atenção de doentes, profissionais de saúde e público em geral para a asma como um problema global de Saúde Pública e participar ativamente no desenvolvimento de programas que visem promover um melhor conhecimento da doença e dos procedimentos corretos para a controlar. Com a finalidade adicional de melhor a qualidade de vida das pessoas com asma, a APA também se propõe a melhorar os níveis de comunicação entre os profissionais de saúde e os doentes e intervir socialmente, de modo a permitir um acesso igual de todos os doentes à informação, tratamento e educação.

Sobre a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica:

Fundada em julho de 1950, é a maior Associação científica nacional que agrega especialistas médicos, investigadores e técnicos dedicados ao estudo da alergia, asma e imunologia clínica.

Para cumprir os seus objetivos, a Sociedade intervém ativamente em diversos projetos clínicos e de formação dirigidos à comunidade. Adicionalmente, também organiza e patrocina regularmente programas de formação e desenvolvimento profissional nestas áreas.

Fonte: Mundipharma / Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Investigadores da Universidade do Minho concluem que volume do cérebro tem impacto na perceção do stress

Um estudo de investigadores da Escola de Medicina da Universidade do Minho encontrou uma c…