No regresso às atividades culturais a partir do dia 6 de abril, a Fundação Eugénio de Almeida retoma as visitas livres, visitas guiadas e programas educativos nos seus diferentes equipamentos culturais e monumentos.

O Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida reabre, disponibilizando as exposições Strata de Deanna Sirlin, Ilhéus de Moira Forjaz, Do Inesgotável de Pedro Calhau e Saudades dos Cartuxos.

Durante os próximos meses inaugura as exposições Alter(ação) /Alter(action), MEIAC 25 Anos, e Santuários, de Renée Gagnon, de forma a criar oportunidades de aproximação do público ao universo da criação artística contemporânea internacional, reforçando a aposta estratégica de internacionalização do Centro de Arte e Cultura. Prolongando a experiência de 2020 promove ainda, entre junho e agosto, uma nova edição do Cinema Paraíso – ciclo de cinema ao ar livre.

O Mosteiro de Santa Maria de Scala Coeli, a Cartuxa de Évora, volta a abrir as suas portas à fruição pública, apresentando um conjunto de propostas de visita que permitem descobrir a herança histórica deste monumento de grande significado espiritual e cultural, ímpar em Portugal.

Com uma interessante coleção de mobiliário e artes decorativas adquiridas pelas várias gerações da família Eugénio de Almeida, o Paço de São Miguel reabre ao público em regime de visita livre aos fins-de-semana. Também nestes dias é possível visitar o Arquivo e Biblioteca Eugénio de Almeida – onde se reúnem os fundos bibliográficos e arquivísticos da família Eugénio de Almeida, reunidos entre os séculos XVIII e XX no exercício das diversas atividades da família.

As atrelagens e utilitários de viagem pertencentes à Casa Eugénio de Almeida, que remontam à segunda metade do século XIX e os primeiros anos do século XX, apresentam-se na Coleção de Carruagens que pode ser visitada todos os dias, em regime de visitas livres e guiadas.

O Centro de Inovação Social da Fundação Eugénio de Almeida reabre o espaço à comunidade e aos empreendedores, mantendo as atividades online e retomando as ações presenciais, adequadas ao contexto atual.

Com o objetivo de contribuir positivamente para o dinamismo cultural da cidade de Évora, todos os equipamentos culturais e monumentos da Fundação Eugénio de Almeida estarão de portas abertas para a comunidade local e visitantes e terão entrada gratuita no regime de visitas livres.

Fonte: Fundação Eugénio de Almeida / Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Museu do Côa vai acolher exposição “João Cutileiro: Gravuras recentes e outros riscos”

A exposição, feita em parceria com a DRCAlentejo, é inaugurada a 18 de abril, no âmbito d…