Universidades e empresas juntam-se no primeiro Laboratório Colaborativo dedicado ao Turismo. O Knowledge to Innovate Professions in Tourism (KIPT) do qual a Universidade de Évora faz parte, é uma organização reconhecida pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) com o título de CoLAB, que visa contribuir para a valorização do conhecimento e criação de emprego.

O KIPT foi um dos nove laboratórios colaborativos aprovados pela FCT no passado dia 23 de março. O título de CoLAB é atribuído a instituições sem fins lucrativos destinadas à investigação e transferência de tecnologia, aproximando empresas e a academia. As instituições com o título de CoLAB têm acesso simplificado à recolha de fundos, destinados ao desenvolvimento dos projetos apresentados na candidatura.

O KIPT é único laboratório colaborativo na área do turismo, e tem por objetivo “contribuir para melhorar a situação social dos trabalhadores do turismo, promovendo e valorizando a profissão numa abordagem inclusiva, recompensadora e conciliadora”.

O plano de ação aprovado desenvolve-se em três eixos estratégicos: conhecimento, emprego e competitividade sustentável, contemplando ainda cinco áreas de desenvolvimento cruciais: informação, formação e educação, carreira e competências, certificação, qualidade e sustentabilidade, inovação e empreendedorismo, para dar resposta aos problemas do setor no geral e, em particular da mão-de-obra do setor.

A situação social, atual, da força de trabalho humana no turismo, as fracas perspetivas de carreira, os baixos salários, o desequilíbrio entre a vida profissional e familiar, o preconceito e a discriminação, mecanismos de inclusão e equidade deficientes e falta de inclusão e equidade, são alguns dos problemas que consensualmente assumidos, carecem de soluções urgentes. A estes problemas acresce toda a precariedade que a pandemia trouxe ao setor e, aos seus trabalhadores.

Dada a situação atual e a necessidade de preparar o setor para um futuro mais resiliente e sustentável, justifica um plano de ação suportado em três cenários que antecipam os estágios de recuperação que o turismo enfrentará, por certo: Numa primeira fase estão previstas ações de sobrevivência e resiliência, numa segunda fase a recuperação suportada em inovação e empreendedorismo e numa terceira perspetiva-se a transformação digital do setor.

Embora integre ainda uma pequena rede de instituições e empresas, o KIPT tem já uma abrangência geográfica nacional, integrando 20 entidades ligadas à Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, à governação turística, aos sistemas de informação, à certificação, à hotelaria e restauração, à operação, às agências de viagens, à sustentabilidade e à inovação e empreendedorismo, congregando saberes na grande maioria das áreas do sistema turístico, nas diferentes geografias do país, e para a qual também o Empreendedor entrega o seu contributo.

Com abrangência geográfica nacional, O KIPT que nasce agora por iniciativa da Universidade Europeia, Faculdade de Turismo e Hospitalidade (entidade proponente) conta com uma liderança conjunta da Universidade do Algarve, Universidade de Évora, Cooperativa de Formação e Animação Cultural, CRL, Universidade Lusofona,  Instituto Politécnico de Leiria, Instituto Politécnico de Bragança, UNIAUDAX – Centro de Empreendedorismo e Inovação, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa; Turismo do Centro; Município de Loulé; Algardata, Sistemas Informáticos, SA; Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal; SGS Portugal; Salmor – Sociedade de Investimentos Hoteleiros, SA. – Pestana Hotel Group; Vila Galé – Sociedade de Empreendimentos Turísticos, SA; HOTI STAR- Portugal Hotéis, SA; Media Invest MITG LDA; Prizmakat Lda;; BLue Geo LIghthouse, Lda; Logical Safety S.A; UPSTREAM – Valorização do Território, S.A.

Fonte: Universidade de Évora / Nota de imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Turismo do Alentejo e Ribatejo tem apostado em diferentes apoios para o enoturismo

A Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo e Ribatejo tem vindo a apostar em diferen…