No âmbito do projeto Adapta.Local.CIMAC – Planeamento da Adaptação Climática Municipal no Alentejo Central, a CIMAC promove no próximo dia 25 de março, pelas 10h00, o Seminário Inicial – Planeamento da Adaptação Climática Municipal no Alentejo Central, dedicado à apresentação do projeto e de experiências de adaptação local às alterações climáticas.

Devido à atual situação pandémica e as restrições que dela advêm, este seminário decorrerá por videoconferência. As inscrições podem ser feitas até ao próximo dia 23 de março.

O projeto Adapta.Local.CIMAC – Planeamento da Adaptação Climática Municipal no Alentejo Central’, candidatado ao Aviso de Concurso ‘Small Grant Scheme #3 – Projetos para reforçar a adaptação às alterações climáticas a nível local’, lançado no âmbito do Programa Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono (Programa Ambiente), tem uma duração de 24 meses, um custo total de 225 325,00€, e é cofinanciado a 85% (191.526,25€) pelo Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu (MFEEE / EEA Grants).

Este projeto é liderado pela CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, em parceria com o CEDRU – Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano, Lda, e a ID Norway.

Os principais objetivos são:

  • Promover a integração do Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do Alentejo Central à escala municipal;
  • Dotar os municípios do Alentejo Central de um instrumento estratégico e operacional de adaptação às alterações climáticas que aumente a resiliência local;
  • Promover a integração da adaptação às alterações climáticas nos Instrumentos de Gestão Territorial;
  • Definir um quadro operacional de adaptação às alterações climáticas a implementar até 2030;
  • Aumentar a capacidade adaptativa dos municípios promovendo a capacitação dos técnicos municipais no domínio da adaptação climática local;
  • Aumentar a sensibilidade e a preparação dos atores locais e regionais para lidarem com as implicações das alterações climáticas.

Através do Acordo sobre o Espaço Económico Europeu (EEE), a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega são parceiros no mercado interno com os Estados-Membros da União Europeia.

Como forma de promover um contínuo e equilibrado reforço das relações económicas e comerciais, as partes do Acordo do EEE estabeleceram um Mecanismo Financeiro plurianual, conhecido como EEA Grants.

Os EEA Grants têm como objetivos reduzir as disparidades sociais e económicas na Europa e reforçar as relações bilaterais entre estes três países e os países beneficiários.

Para o período 2014-2021, foi acordada uma contribuição total de 2,8 mil milhões de euros para 15 países beneficiários. Portugal beneficiará de uma verba de 102,7 milhões de euros.”

Saiba mais em https://www.eeagrants.gov.pt/pt/

Fonte: CIMAC / Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

“Teremos um problema grave no que diz respeito à subida do nível do mar”

Inundações rápidas, ondas de calor, furacões, secas e outros fenómenos extremos vão passar…