A Alma d`Arame vai assinalar o Dia Internacional da Marioneta através de uma iniciativa online com transmissão em direto, via facebook e youtube, com a presença de vários participantes que aceitaram o desafio lançado por Amândio Anastácio, diretor artístico da Alma d’Arame, de abordar o estado do teatro de marionetas em Portugal e desta forma, não deixar passar a data de celebração desta arte milenar que é a marioneta.

Segundo Amândio, “a marioneta representa uma forma de expressão que tem a capacidade de falar da vida e do meio que nos rodeia e de nos tornar seres melhores. O importante não é tanto a técnica de manipulação, mas a sua expressividade”.

Neste evento, que decorre domingo, dia 21 de março, às 14h30, espera-se acima de tudo, fazer jus a esta forma de arte com forte tradição cultural, com a sabedoria, experiência e acima de tudo paixão comum a todos os participantes, contribuindo seguramente para um “debate” construtivo sobre o teatro de marioneta e o desempenho que tem na dinâmica cultural a nível mundial.

A moderação vai ser de Christine Zurbach, doutorada em Literatura Comparada / Estudos de Tradução, com uma tese intitulada Tradução e Prática do Teatro em Portugal de 1975 a 1988. Professora Associada com agregação na Universidade de Évora, onde ensina e investiga nas áreas de Literatura Comparada, Estudos de Tradução, Dramaturgia, Estudos Teatrais. Membro do Departamento de Artes Cénicas e do Conselho Científico da Escola de Artes. Diretora do Centro de História da Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora.

São convidados, Ana Paula Amendoeira, diretora Regional de Cultura do Alentejo, mestre em Recuperação do Património Arquitetónico e Paisagístico pela Universidade de Évora, foi eleita em 2011 Presidente do Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) em Portugal.

Luís Leite, professor adjunto, coordenador do Mestrado em Sistemas e Media Interativos e vice-presidente do CTC na Escola Superior de Media Artes e Design (ESMAD). É afiliado no Instituto de Telecomunicações (IT) e foi bolseiro da FCT no seu projeto de investigação “Virtual Marionette – Interaction Model for Digital Puppetry”, onde desenvolveu um ecossistema digital suportado por várias ferramentas e protótipos, procurando trazer a arte das marionetas para a animação digital.

Paulo Simões Rodrigues, professor auxiliar na Universidade de Évora e presidente do CHAIA – Centro de História da Arte e Investigação Artística. Atua nas áreas de Humanidades com ênfase em Outras Humanidades e Humanidades com ênfase em História e Arqueologia.

Amândio Anastácio, mestre em Teatro – Ator/Encenador pela Universidade de Évora. Co-fundador e diretor artístico da Alma d’Arame. Em paralelo, é criador, cenógrafo, marionetista, construtor de marionetas e objetos e desenhador de luz e som. A sua abordagem artística consiste em desconstruir para depois construir, em criar pontes, em unir linguagens diferentes numa outra linguagem. 

Para aceder à transmissão pelo Facebook ou YouTube, será através do nosso canal no link: fb.com/alma.darame ou www.youtube.com/c/AlmaDArame

Fonte: Alma d’Arame / Nota de imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Montemor-o-Novo: XVI Encontro Internacional de Marionetas terminou com balanço bastante positivo

Chegou ao fim o XVI Encontro Internacional de Marionetas. Entre 22 de maio e 2 de junho, e…