O ambiente natural conta com sete rotas de bicicleta de montanha para conhecer o ecossistema local e o seu património histórico

Estremadura é terra de lagos. Numerosas barragens hidráulicas de extensos quilómetros decoram as duas províncias estremenhas. Uma delas, inclusive, vai mais além das nossas fronteiras e estende-se até ao Alentejo português. É a barragem do Alqueva, o maior lago da Europa, cujo ambiente é formado por doze municípios e pretende converter-se no destino referência para os amantes da prática desportiva.

Com 250 quilómetros de água doce, Alqueva é uma das alternativas de turismo náutico mais interessantes da península. Mas não é só isso: o espaço natural permite o desenvolvimento de outras atividades desportivas como a caminhada, a equitação ou o ciclismo. Tanto é assim que o Alqueva conta com o Centro BTT Entorno del Embalse del Lago Alqueva, quer dizer, um espaço para realizar rotas de bicicleta de montanha. No total, podem-se realizar sete rotas de mais de 300 quilómetros com distintas modalidades de nível, uns passeios que contam com a homologação da Asociación Internacional de Ciclismo de Montaña (IMBA).

Rota 1: Aldeias tradicionais de Olivenza

Uma das rotas percorre as planícies e as aldeias tradicionais da localidade limítrofe de Olivenza que foi declarada Conjunto Histórico Artístico em 1964. Desde então, este município iniciou uma rota circular na qual se percorrem os seus recintos amuralhados e baluarte, assim como os principais pontos de interesse de Olivenza. Depois, a rota contínua até San Rafael de Olivenza e San Francisco de Olivenza onde podemos observar ruínas romanas e uma igreja visigoda. A próxima paragem será Villarreal, fronteira com Portugal, local em que começa o corredor eco fluvial da ponte da Ajuda.

Rota 2: Pastagens de Olivenza

Outro dos caminhos da zona começa no Convento de Nuestra Señora de la Concepción de Olivenza. Desde aí, as pequenas serras e colinas acercam-se e estendem-se entre os municípios de Olivenza e Alconchel. A rota passa por várias serras: a Serra de Alor e la Serra de Montehongo. Um caminho que acabará em Alconchel e no seu castelo de Miraflores, o ponto mais ao sul de toda a rota, desde onde voltaremos a Olivenza, passando por San Benito de la Contienda.

Rota 3: Alconchel – Lago de Alqueva (Praia de Cheles)

A partir de Alconchel inicia-se esta rota que atravessa a típica paisagem de pastagens da região e contemplam-se pastagens planas e pode-se disfrutar de uma grande riqueza em fauna. A segunda paragem será no município de Cheles onde existem edifícios antigos como o palácio dos Condes de Via Manuel para terminar a rota na praia de Cheles, uma praia fluvial que se vê Portugal, a qual dispõe de bandeira azul pela qualidade da águas e balneários.

Rota 4: Pastagens de Cheles

Também na localidade de Cheles pode-se iniciar outra rota. A diferença da anterior, é que esta percorre as pastagens que se estendem ao redor do município, repletas de flora e fauna. Plantas como o tomilho, orégãos ou a Rosa de Alejandría e animais como as cegonhas negras ou as águias reais acompanham-nos durante este trajeto. A água também será uma das protagonistas da rota; no caminho observa-se a confluência do caudal de Valcuervo com a ribeira de Táliga, entre outras.

Rota 5: Pastagens de Alconchel.

Alconchel, com as vistas do Castelo de Miraflores, também é um ponto de partida desta rota circular na qual se observam as ruínas do Convento de la Luz, do século XVI, e as ruínas de um aqueduto, uma vez chegados ao caminho de Friegamuñoz. Neste caminho cruza-se o rio Alcarrache, através da Ponte da Bogaña, até chegar ao município de Higuera de Vargas de onde se voltará a Alconchel.

Rota 6: Rota dos Bienes Comunales

O município principal desta rota é Villanueva del Fresno, uma localidade fronteiriça com o nosso país vizinho que foi cenário de batalhas históricas com Portugal. No caminho podemos avistar a povoação de Mourão e o seu castelo, assim como encontrar miradouros desde os quais podemos observar a extensão do lago de Alqueva.

Rota 7: Pastagens de Villanueva del Fresno

Este itinerário, sem dificuldades técnicas e físicas, convida-nos a disfrutar do magnífico ambiente paisagístico que atravessamos. Os campos de pastagem que rodeiam o município permitem-nos observar numerosas aves abetardas, gaivotas, abutres… e, também, outras espécies animais como o gato montês. Neste caminho, ainda, se visitam os castelos defensivos da localidade de Villanueva del Fresno.

Villanueva del Fresno têm uma costa de 22,5 km do lago de Alqueva, onde se situa o cais. Nesse lugar, poderemos praticar desportos náuticos, navegação em Caiaque e em canoa, pesca e caminhada.

Um espaço, em definitivo, aberto a todos os interessados na natureza e na prática de desporto no meio natural onde a água não será o único protagonista. Durante o caminho também se podem contemplar campos de carvalhos e sobreiros; paisagens virgens; praias fluviais… Esta zona, além disso, é ideal para contemplar o céu estrelado, já que os seus municípios contam com um distintivo internacional como “Destino Turístico Startlight”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Dark Sky® Alqueva conquista dois World Travel Awards na Gala Europeia

Decorreu no dia 6 de Março, a 31a Gala Europeia dos World Travel Awards com o Dark Sky® Al…