Educar crianças é comprovadamente uma forma viável de melhorar a preparação da comunidade face ao Acidente Vascular Cerebral (AVC), que é a principal causa de morte e incapacidade em Portugal. Com o objetivo de mobilizar as crianças entre cinco e nove anos de idade para que ajam como um meio educativo para ajudar a melhorar o reconhecimento dos sinais de AVC e sua atuação, a Iniciativa “Fast Heroes 112”, durante o mês de março, procura recrutar um milhão de crianças de todo o mundo para “salvar os seus avós”.

Para ajudar a dar o pontapé de partida nesta campanha e encorajar a participação internacional, a “FAST Heroes 112” convida todas as crianças e as suas famílias a enviarem fotos nas quais usem uma máscara de super-herói. “O objetivo é criar o maior álbum de fotografias online de pessoas a usarem máscaras de super-heróis. Para participar, basta aceder ao site oficial e tirar ou enviar uma fotografia com uma máscara de super-herói”, adianta o presidente da Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC), Castro Lopes.

“Ao educar os pais e avós por meio dos filhos, esperamos que a mensagem que realmente importa acabe por chegar a todos de forma a estarem o mais preparados possível aquando de um AVC. Além disso, esta campanha aproveita o entusiasmo incrível das crianças pela aprendizagem e partilha, incentivando a disseminação do conhecimento junto das suas famílias, especialmente dos seus avós. ”, frisa o responsável.

Os recursos educacionais da iniciativa são divertidos, envolventes e interativos, tendo como finalidade ensinar às crianças um pouco mais sobre empatia e amor, munindo-os ainda de habilidades práticas que os ajudem a salvar vidas. Para isso, as crianças recebem ainda ferramentas que as ajudarão a cumprir a sua missão de educar as suas famílias.

“O AVC tem tratamento. As pessoas que já sofreram um AVC precisam de ter acesso a cuidados agudos de alta qualidade o mais rápido possível, portanto, sensibilizar para os principais sintomas é crucial! As crianças podem ajudar a fazer uma diferença real, através da família. O objetivo principal é ajudar a garantir que, quando ocorre um AVC, os avós possam sobreviver com suas vidas intactas, graças a um tratamento eficaz e rápido.”, afirma Sheila Martins, professora de Neurologia e presidente eleita da Organização Mundial de AVC.

O programa FAST Heroes, que pode ser implementado nas escolas ou acedido em formato online por meio de uma série de e-books disponíveis, gira em torno de três personagens: um grupo de super-heróis reformados conhecidos como FAST Heroes. “Esta iniciativa torna-se relevante, porque, muitas das vezes, as pessoas não reconhecem os principais sinais de um AVC e não procuram uma resposta médica de emergência no imediato”, lamenta o presidente da SPAVC.

Autor: Maria Antónia Zacarias / Nota de Imprensa

Foto: Hill+Knowlton Strategies

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Investigadores da Universidade do Minho concluem que volume do cérebro tem impacto na perceção do stress

Um estudo de investigadores da Escola de Medicina da Universidade do Minho encontrou uma c…