Já tiveram início os trabalhos de recuperação de mais um dos cinco moinhos de vento do núcleo molinológico do Alto de São Bento, desta vez para a sua função tradicional da moagem de cereal. A recuperação estará a cargo da empresa Etnoideia, Lda, especializada em desenvolvimento rural, molinologia e etnoturismo.

A primeira fase dos trabalhos será dedicada à construção de todo o “engenho” em madeira (entrosga, carreto, fechal, mastro, etc), de que não restam quaisquer vestígios materiais, seguindo-se os trabalhos de construção civil e reforço de estabilidade da torre e, finalmente, de montagem do engenho e capelo, representando este um investimento de cerca de 100 mil euros.

Os moinhos do Alto de São Bento integram atualmente o Núcleo Museológico do Alto de São Bento, recurso educativo municipal criado em 2001, onde se desenvolvem atividades nas áreas das ciências naturais e ambiente, cidadania, história e património.

A breve prazo, começará a reunir um grupo de trabalho formado por pessoas e instituições de áreas diversas, que construirá um programa de atividades significativas e diversificadas em torno do moinho, da moagem, do pão e da sua importância.

Segundo o estudo etnotecnológico do moinho, realizado em 2019, a importância ceralífera do Alto de São Bento é “atestada por filmagens documentais feitas em 1929 pelo realizador José César de Sá que se encontram conservadas na Cinemateca Nacional constituindo um raro e importante documento vivo dos trabalhos na eira e nos moinhos”.

Fonte: Município de Évora / Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Caras em pedra espalhadas pelo centro histórico vão agora “invadir” os bairros de Évora

Este trabalho do artista eborense Bernardo Bagulho, denominado Pedras Rolantes, resulta de…