O setor do trabalho temporário deverá registar em 2020 uma faturação de 1 200 milhões de euros, uma quebra de 17 por cento face a 2019, de acordo com o Observatório Setorial da Informa D&B.

O decréscimo na faturação é consequência da pandemia de Covid-19 e surge após um grande crescimento de 60 por cento deste setor entre 2013 e 2019. Em 2019, num contexto de aumento da atividade empresarial e queda do desemprego, o setor atingiu uma faturação de 1 440 milhões de euros. Entre 2014 e 2019, o número de desempregados diminuiu em mais de 500 mil pessoas, um registo que mostrou uma tendência contrária a partir do segundo semestre de 2020.

O setor é liderado por um reduzido grupo de multinacionais. A seu lado encontram-se alguns operadores nacionais de grande dimensão, geralmente ligados a grupos multisserviços com presença noutros setores de mão-de-obra intensiva. A oferta setorial caracteriza-se por um alto grau de concentração, detendo as cinco principais empresas, em termos de faturação, uma quota de mercado conjunta de 35 por cento.

Fonte: Informa D&B / Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Criação de novas empresas cai 43% em janeiro e insolvências aumentam mais de 15%

Em janeiro, a criação de novas empresas teve um tombo de 42,7% face ao período homólogo de…