Já é oficial. As escolas de todos os níveis de ensino vão estar encerradas durante 15 dias, anunciou há pouco o primeiro-ministro, António Costa, sendo que a medida entra em vigor já amanhã.

O objetivo, como já é sobejamente conhecido, é colocar um “travão” ao número crescente de contágios por Covid-19.

Segundo o relatório da situação epidemiológica de hoje, registaram-se, em Portugal, mais 221 mortes relacionadas com Covid-19 e mais 13 544 casos de infeção provocados pelo novo coronavírus. Estão ainda internadas 5 630 pessoas (mais 137), das quais 702 estão em unidades de cuidados intensivos (mais 21).

De acordo com a agência Lusa, a medida de encerramento das escolas foi anunciada pelo primeiro-ministro, “após uma reunião do Conselho de Ministros e referiu que se justifica por um ‘princípio de precaução’ por causa do aumento do número de casos da variante mais contagiosa do SARS-CoV-2, que cresceram de cerca de oito por cento de prevalência na semana passada para cerca de 20 por cento actualmente”.

A mesma agência referiu que “António Costa afirmou que os 15 dias de interrupção serão compensados noutro período de férias e garantiu que haverá medidas de apoio às famílias semelhantes às que vigoraram durante o primeiro confinamento de 2020”.

Nesse sentido, o primeiro-ministro reforçou que “os pais de crianças até 12 anos terão ‘faltas justificadas ao trabalho, se não estiverem em teletrabalho, e um apoio idêntico ao que foi dado na primeira fase do confinamento’, que corresponde a 66% da remuneração”.

Na mesma comunicação, António Costa revelou que “todo o quadro de medidas ‘suplementares’ de combate à covid-19 hoje adotadas, em que se destaca a suspensão da atividade letiva, será reavaliado pelo Governo dentro de 15 dias”, noticiou a Lusa.

O governante destacou ainda que “”todas as medidas têm um prazo de vigência de 15 dias, embora, na próxima semana, haja uma reavaliação do estado de emergência, que termina [dia 30]. Estas medidas serão reavaliadas dentro de 15 dias e diariamente iremos acompanhar a evolução da chamada estirpe britânica em termos de prevalência na sociedade”, resumiu a Lusa.

Na sua comunicação, o primeiro-ministro especificou ainda que “as creches e ateliers de tempos livres serão encerradas no âmbito da interrupção das atividades letivas por causa do novo coronavírus, enquanto as universidades poderão ter de ajustar o calendário de avaliações”, acrescentou a agência Lusa..

Autor: Redação DS / Agência Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Vídeo sobre a pandemia feito por aluno de Évora tem tido “feedback” positivo

Trabalho do jovem de 14 anos já foi mostrado em várias escolas. Foto: Miguel Madeira …