A instalação de pilaretes nas cidades é uma das medidas mais utilizadas para conter acessos condicionados e salvaguardar a mobilidade dos cidadãos, direito frequentemente amputado por estacionamentos abusivos. Trata-se de uma medida de recurso e complementar à fiscalização, certamente dispensável num cenário de cumprimento geral do Código da Estrada.

Em Évora, os pilaretes instalados para acesso reservado ou condicionado são amovíveis e de remoção rápida, mediante a utilização de chaves distribuídas às forças de segurança, bombeiros voluntários e proteção civil. E, em alguns casos, aos próprios residentes.

Segundo a Câmara de Évora, “é neste enquadramento que se estranham algumas manifestações de indignação relacionadas com alegadas dificuldades de socorro por viaturas dos bombeiros voluntários”.

Acrescentou que “estranheza agravada pela inexistência de dificuldades registadas pelo próprio Corpo de Bombeiros Voluntários de Évora, com o qual mantemos articulação estreita e de permanente colaboração, evidentemente, pelo facto de as dificuldades de circulação que nos têm sido reportadas pelos bombeiros voluntários no centro histórico serem muitas vezes causadas precisamente por viaturas mal estacionadas e não por pilaretes”.

De acordo com a autarquia, “na passada sexta-feira, 15 de janeiro, a Rua da República foi cortada de urgência ao trânsito para reparação de uma conduta de água”.

O Município de Évora alertou as forças de segurança, bombeiros voluntários e a população em geral com recurso a meios considerados adequados, dada a celeridade exigida.

Afiançou que “uma viatura de socorro não urgente dos Bombeiros Voluntários de Évora subiu a Rua do Raimundo e desobstruiu sem dificuldade os pilaretes ali instalados. Seguiu o seu caminho e concluiu a sua missão”.

O Município de Évora focou que “a dificuldade foi portanto forjada, neste como em outros casos, por interpretações abusivas e mal-intencionadas que visam denegrir o trabalho da câmara municipal e dos seus trabalhadores, bem como tentar obter dividendos políticos e partidários, não tendo pejo de usar notícias falsas”.

A Câmara de Évora tem em curso a elaboração de um Plano de Mobilidade apelando a todos os que, construtivamente, quiserem contribuir para uma melhor mobilidade. E continuará a pugnar por soluções construtivas e equilibradas e que sirvam o interesse coletivo no concelho de Évora.

Fonte: Município de Évora / Nota de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Câmara de Évora apresenta contributo para Plano de Recuperação e Resiliência

Das propostas avançadas, destaque para a criação de um “cluster” regional de saúde para o …