A Câmara Municipal de Évora, por proposta do presidente, aprovou por unanimidade um voto de pesar pelo recente falecimento do agente do Comando Distrital de Évora da Polícia de Segurança Pública, António Doce.

No documento, os eleitos na Câmara Municipal de Évora “expressam a sua dor e sentidas condolências à família enlutada pela perda irreparável, estendendo ainda este voto de pesar à Polícia de Segurança Pública, colegas, amigos e aos profissionais de saúde que lutaram com ele até ao fim”.

Constatando que “todos os anos milhares de mulheres, homens, crianças e jovens são sujeitos a maus tratos perpetrados no seio do lar”, a moção salienta que, “no passado dia 12 de dezembro pelas 21h40, não foram só a defesa do Estado de Direito, o espírito de missão e a deontologia profissional que lançaram o agente da Polícia de Segurança Pública António Doce na tentativa de travar mais um episódio deste triste e condenável flagelo. Nos momentos dramáticos em que António Doce se viu confrontado com uma situação de violência gratuita na via pública, desavergonhadamente despojada do pudor que conserva a ignomínia dentro de portas, foram também os valores humanistas, a profunda indignação e a solidariedade que o precipitaram no resgate daquela mulher humilhada, despojada de dignidade e indefesa”.

Por isso, refere igualmente: “Nessa noite fatídica, António Doce pagou um preço elevado com a própria vida pelos valores que jurou defender. Pagou com a própria vida por não se ter conformado com a opressão movida pelo agressor a outro ser humano. Pagou enfim com a própria vida pela revolta de também ele ser filho, marido e pai”, destacando ainda que ” Nesses instantes trágicos, António Doce defendeu de forma abnegada o Estado de Direito e a Constituição na condenação da violência doméstica, engrossando a voz daqueles que são diariamente silenciados”.

De entre o conjunto de assuntos tratados, destaca-se a aprovação por unanimidade de duas propostas de cedência de lotes no Parque Industrial e Tecnológico de Évora, ambas destinadas à expansão da atividade, uma de apoio à comercialização de embalagens e a outra de comercialização de consumíveis de hotelaria.

Aprovação unânime mereceu, de igual modo, a 1ª fase da requalificação do Largo de Avis (Estudo Prévio) que prevê o alargamento e nivelamento dos passeios de modo a torná-los contínuos, a execução de passadeiras niveladas com os mesmos, a reorganização do estacionamento e, no caso do Largo de Avis, a criação de uma plataforma que une a fonte às fachadas, com o intuito de tornar a circulação e permanência pedonal mais confortável e aprazível.

O projeto de execução referente à criação de uma cafetaria na Escola Básica de Santa Clara também foi aprovado por unanimidade. Projeto que visa resolver as insuficiências do serviço de cafetaria que atualmente se verificam neste edifício escolar, adaptando uma antiga sala de aulas e que mereceu parecer favorável da Direção-Geral dos estabelecimentos escolares – Direção Regional de Educação do Alentejo e da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Fonte: Câmara de Évora / Nota de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Suspeito de furtar automóvel em Montemor-o-Novo com criança no interior detido pela PSP

Um homem suspeito de ser o autor do furto de um automóvel na noite de quinta-feira, em Mon…