Hoje, dia 17 de novembro, é o pico de uma das chuvas de meteoros (vulgarmente conhecidas como estrelas cadentes) mais proeminentes de 2020, de acordo com o Centro de Ciência Viva (CCV) de Estremoz.

Acrescentou que “meteoros são objetos que ao entrar na atmosfera da Terra se desintegram criando um rasto luminoso no céu”.

Segundo a mesma fonte, “este evento astronómico, que acontece anualmente entre 6 e 30 de novembro, chama-se Leónidas devido ao facto dos meteoros parecerem vir da constelação do Leão”.

Destacou também que, “nesta altura do ano, o número de meteoros que entram na atmosfera terrestre por unidade de tempo, aumenta muito podendo chegar a mais de 20 meteoros por hora”.

O CCV de Estremoz explicou que “toda esta atividade deve-se ao facto de na sua trajetória à volta do Sol, a Terra estar a passar numa zona de poeiras e detritos deixados pelas sucessivas passagens do cometa Tempel-Tuttle que todos os 33 anos completa uma órbita elíptica em torno do Sol”.

A mesma fonte referiu ainda que, “apesar de normalmente os meteoros terem a intensidade das ‘estrelas cadentes’ que tantas vezes vemos no céu, por vezes, podemos ser presenteados com verdadeiras bolas de fogo como a observada no sul da Península Ibérica na madrugada da passada segunda-feira, dia 16”.

Fonte: Centro de Ciência Viva de Estremoz