O município de Évora discorda de passar a integrar a lista dos concelhos com mais risco de contágio da COVID-19. O anúncio foi recebido com insatisfação, embora fosse previsível face à formula que o Governo está a utilizar. “Parece-me algo injusto que Évora apareça nesta lista face à situação que temos no concelho. Neste momento, julgo que é inadequada a fórmula porque não corresponde ao risco efetivo que existe”, afirmou o presidente, Carlos Pinto Sá.

O autarca explicou que compreende que tem de haver algum critério. Não obstante, salientou que no concelho de Évora não há, neste momento, “surtos significativos ativos, nem contágio comunitário. Claro que pode vir a acontecer, mas a situação está com algum controle”. E justificou: “Repare que nas escolas não temos surtos e os casos que têm aparecido, as cadeias têm imediatamente cortadas”.

Carlos Pinto Sá mostrou-se preocupado com os impactos em termos económicos, na restauração e no pequeno comércio e avançou que se tudo se mantiver como até aqui, o município não vai impor mais medidas restritivas para além das que são resultado do Estado de Emergência, nomeadamente no que concerne ao encerramento dos estabelecimentos comerciais. O mesmo se passa quanto aos mercados e feiras que podem continuar a ser realizados, uma vez que têm mostrado cumprir todas as regras.

O presidente da Câmara de Évora garantiu que “iremos procurar fazer tudo para que a situação se possa alterar, no sentido de que as medidas que forem desadequadas não sejam aplicadas”, com o objetivo de retirar o concelho desta lista “negra”.

Autor: Maria Antónia Zacarias

Foto: CME

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja também

Bairro Comercial Digital de Évora apresentado segunda-feira, dia 4 março

O consórcio liderado pelo Município de Évora, de que fazem parte a Associação Comercial do…