Mais de duas dezenas de escolas do concelho de Évora foram galardoadas com a Bandeira Verde Eco-Escolas 2020, um prémio que reconhece o trabalho de todos os que contribuíram para tornar mais sustentável o dia-a-dia da escola e da comunidade onde esta se insere. No distrito foram 29, pelo que Évora, com 21 instituições distinguias, acabou por ser o concelho mais premiado.

Vão poder hastear a Bandeira Verde as seguintes instituições: Associação Mãe Galinha, Centro de Atividade Infantil de Évora, Creche e Jardim de Infância Quinta dos Sonhos, Escola Básica André de Resende, Escola Básica Conde de Vilalva, Escola Básica do Bairro da Câmara, Escola Básica do Chafariz D’El-Rei, Escola Básica Manuel Ferreira Patrício, Escola EB Bairro da Comenda, Escola EB da Avenida Heróis do Ultramar, Escola EB de Canaviais, Escola EB1 da Cruz da Picada, Escola EB1 do Bairro da Sra. da Glória, Escola EB1 do Rossio de S. Brás, Escola EB1/JI da Vendinha, Escola Secundária de André de Gouveia, Escola Secundária Gabriel Pereira, Jardim de Infância de St. António, Jardim de Infância Garcia de Resende, EB de Valverde, Centro Infantil Irene de Lisboa.

Destas, destaque para a Escola Básica do Chafariz D’El Rei que conquistou prémios com os seguintes projetos: Concurso Heróis da Fruta (prémio: um dos três vencedores na categoria de escolha do júri); Desafio UHU (prémio: 1º lugar no desafio Teatro de Fantoches / 1º escalão) e Geração Depositrão (prémio: uma das três escolas vencedoras no concurso “Viagem de um Eletrodoméstico”) e Escola Básica de Canaviais que, com a atividade Sabor & Saberes – Refeitório Escolar, obteve o 2º Prémio (1º Escalão) no desafio Alimentação Saudável e Sustentável.

Segundo o coordenador da EB Chafariz D’El Rei, Jorge Branquinho, para além deste projetos a escola “a nossa escola recolhe também papel e plástico que entrega ao Banco Alimentar e tampinhas que doa à Associação de Surdos de Évora ou a projetos de aquisição de cadeiras de rodas. Foi das primeiras escolas a aderir ao projeto de mobilidade sustentável “Serpente Pápa-Léguas”. Por outro lado, dinamiza também uma horta biológica e realiza uma Feira da Garagem para promover a Reutilização”.

Por seu turno, a coordenadora da escola dos Canaviais, Arminda Escária, recorda que a atividade Sabor & Saberes – Refeitório Escolar tem como objetivo geral “proporcionar um ambiente acolhedor e desafiador, favorecendo a construção de novas aprendizagens priorizando a alimentação saudável e demais aspetos”. Sensibilizar a população escolar para uma adoção de práticas de alimentação e estilos de vida saudáveis, compreender a importância de uma alimentação saudável e consciencializar os alunos sobre a importância de se alimentarem de forma correta visando diminuir os fatores de risco para muitas doenças; e desenvolver a autonomia são outros dos objetivos inerentes a este projeto agora reconhecido nacionalmente.

Prémios

A entrega das Bandeiras Verdes Eco-Escolas 2020 vai decorrer presencialmente no Fórum Lisboa (Areeiro), na tarde do dia 30 de outubro, e será transmitida online pelo Facebook, Youtube e na página da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE). Serão convidados para a cerimónia presencial todos os representantes dos municípios parceiros Eco-Escolas, que irão levantar a bandeira das escolas do seu concelho, representantes dos Eco-Agrupamentos e representantes de uma escola premiada em cada desafio.

O Eco-Escolas

O Eco-Escolas é um programa internacional da “Foundation for Environmental Education”, desenvolvido em Portugal desde 1996 pela ABAE e pretende encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pela escola, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade. É coordenado a nível internacional, nacional, regional e de escola.

Depois de inscritas, as escolas da rede recebem um conjunto de informações e orientações facilitadoras da implementação do programa. A coordenação organiza atividades de formação, como o Seminário Nacional e de divulgação como o Dia Bandeiras Verdes, entre outras. O/A professor(a) coordenador(a) em cada estabelecimento de ensino é o ponto focal do Eco-Escolas no terreno, sendo da sua responsabilidade a reunião de condições, meios e estratégias para levar a bom termo a implementação da metodologia proposta.

Para receber a Bandeira Verde, a escola tem de demonstrar ter seguido a metodologia dos sete passos: Conselho Eco-Escolas, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Trabalho Curricular, Monitorização e Avaliação, Envolvimento da Comunidade e Eco-Código. Além de ter de concretizar pelo menos dois terços do seu plano de ação e de realizar atividades no âmbito dos temas-base (água, resíduos e energia) e de, pelo menos, um dos temas do ano.

O bom desempenho dos estabelecimentos de ensino eborenses é, também, fruto do investimento municipal nesta área, já que a edilidade investe nas Eco- Escolas por considerar que a educação para o desenvolvimento sustentável se reveste de grande importância para a consciencialização das alterações necessárias para uma verdadeira mudança. “É mais um compromisso para agir pelo ambiente. Construir um concelho sustentável”, frisa a vereadora Sara Fernandes.

Fonte: Município de Évora / Nota de imprensa