A Associação “Eborae Musica” promove Espetáculos para Bebés e Crianças (0 aos 5 anos) nos dias 17 de outubro, às 10h30 e às 17h30, e 18 de outubro, às 10h00 e às 11h00, com o espetáculo Opus 7 (do Ciclo PAPI).

Já no dia 24 de outubro, às 10h30 e às 17h30, e no dia 25 de outubro, às 10h00 e às 11h00, realiza-se o espetáculo Opus 8 (do Ciclo PAPI).

A par disso, no dia 17 de outubro, das 15h00 às 16h30, decorre uma sessão de formação “Workshop Mil Pássaros”, para pais, educadores e outros, no Convento dos Remédios, em Évora.

As duas peças Opus 7 e Opus 8 fazem parte do Ciclo PAPI e as sessões serão dirigidas especificamente a bebés e crianças com idades até aos 5 anos inclusive.

Cada criança deve ser acompanhada apenas por um adulto, o limite máximo de crianças é de 14, por espetáculo, e cada sessão tem uma duração aproximada de meia hora.

O preço é de 12 euros por criança e acompanhante. É obrigatório o uso de máscara a partir dos 10 anos. As reservas para os espetáculos e a inscrição para a ação de formação devem ser feitas desde já através do email: eboraemusica@gmail.com.

A Companhia de Música Teatral tem desenvolvido um modelo de trabalho que designa como “criação de constelações artístico-educativas”. Através da construção de diferentes relações com a música (ouvir, fazer, criar, saber) e da exploração de diferentes recursos sonoros e artísticos, vão nascendo novas formas de envolver diversos tipos de públicos. PAPI (Peça a Peça Itinerante) é uma dessas constelações, nela se cruzando intenções de carácter artístico, educativo e social. Para que a harmonia e o desenho de comunicar habitem o espaço da infância desde muito cedo.

Na peça Opus 7 a linguagem principal é a Música (Voz, Percussão) O Intérprete é Rui Pessoa Pires . Na peça Opus 8 a linguagem principal é Música e Movimento e a Intérprete é Inês Silva.

Quanto à formação “Workshop Mil Pássaros”, tem como objetivos vivenciar (ao nível da música, do movimento e das artes plásticas) algumas das conceções artísticas presentes na Constelação Mil Pássaros; adquirir ideias e estratégias que possam ser implementadas em sala de creche, jardim de infância ou sala de aula; adquirir ferramentas necessárias para uma boa interação entre as famílias e a creche/jardim de infância/escola.

A formadora é Mariana Vences, bolseira de investigação FCT no Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM-FCSH) onde se investigam as questões relacionadas com o ensino da música em idades precoces.

Neste caso, os destinatários são pais, educadores, auxiliares de educação e artistas interessados nos temas da arte para a infância e da educação ambiental, sendo o número de participantes de 7 a 25.

A Companhia de Música Teatral (CMT) explora a música como ponto de partida para a interação entre várias técnicas e linguagens de expressão artística dentro de uma estética que vai da “música cénica” ao “teatro-musical”.

A CMT tem desenvolvido um trabalho pioneiro de articulação entre a investigação académica, a produção artística, a criação tecnológica, o envolvimento da comunidade e a divulgação de ideias recentes sobre a importância da experiência musical em especial nas idades mais precoces.

O trabalho da CMT desenvolvido para e com crianças tem tido especial relevância sendo internacionalmente reconhecido pela originalidade estética, pela solidez da fundamentação científica e também pela calorosa receção do público em geral.

A organização destes eventos é da responsabilidade da Associação Eborae Musica, entidade financiada pelo Ministério da Cultura- DGArtes, com o apoio da Câmara Municipal de Évora, Diário do Sul, A Defesa, Rádio Diana, Antena 2 e Registo.

Fonte: Eborae Musica / Nota de imprensa