“A Arte da Simulação” é um livro de Ana Figo Ribeiro da Cunha lançado no passado mês de setembro, pela Meridiano / Sinais de Fogo. Nesta obra, a autora, de Évora, fala de “três amigas que se envolvem num crime”.

Em informação enviada ao Grupo Diário do Sul, é referido que “o livro já instiga pela inteligência, mistério, fantasia e magia”, sendo sublinhado que “realidade e ficção são inseparáveis e cabe ao leitor descobrir o que é verdade e o que é a irrealidade”.

É ainda realçado que “o amor está presente e nunca houve alguém tão louco que o nascer do sol fosse um sorriso”, acrescentando que “o livro e o fim deste depende da criatividade e imaginação de quem o lê de um fôlego”.

De acordo com Ana Figo Ribeiro da Cunha, “em Évora, o livro encontra-se à venda na livraria Nazareth e na Fonte de Letras”.

Na contracapa de “A Arte da Simulação”, é destacado que “a vida é como calças esfarrapadas que se tentam alinhavar”, focando que “a escrita e a língua nas obras universais sensibilizam milhões de pessoas”.

É também evidenciado que “a linha literária que envolve o leitor nasce em cada escritor, sendo única e impenetrável”, reiterando que, “neste caso, uma viagem sonhadora para uma nova realidade sem espaço, nem tempo”.

Segundo a informação disponível, “esta escrita indomável leva ao mistério da vida de famílias rasgadas”.

Ao longo da história, o leitor pode deparar-se com “hostilidade, crime, amor e amizade que se espraiam num insondável e histórico Colégio Azul, na natureza da dilação, num estado equívoco e desordeiro”, sendo frisado que “ouvem-se gargalhadas sonoras à medida que o enredo se desenvolve”.

As questões vão surgindo página após página. “Quem será o culpado? Quem será o próximo?”.

Na contracapa desta obra é ainda recordado que “o ser humano suporta mal as contrariedades; no entanto, esses momentos desagradáveis têm uma solução plausível”, lembrando que “já a morte não tem solvência”.

Em relação à autora, no livro é revelado que Ana Figo Ribeiro da Cunha escolheu “a Faculdades de Letras, licenciando-se em Literatura e Línguas Inglesa e Alemã”, além de ter “o mestrado em Estudos Americanos”.

Foi professora de Inglês e Alemão, sendo atualmente administradora de uma herdade agrícola no Alentejo.

Autor: Redação DS / Marina Pardal

Foto: Sinais de Fogo