São 1151 os novos estudantes colocados na Universidade de Évora (UÉ) através do Concurso Nacional de Acesso (CNA) 2020/2021, o que significa que 92% das vagas foram preenchidas logo na 1ª fase.

Neste ano letivo a UÉ disponibilizou mais 51 vagas através do CNA, num total de 1253, distribuídas por 33 cursos de Licenciatura e Mestrado Integrado, 25 dos quais preencheram a totalidade das vagas nesta primeira fase. Em relação ao ano anterior, nesta 1ª fase do CNA, foram colocados mais 184 estudantes, o que corresponde a um acréscimo de 20%.

Já o número de estudantes internacionais admitidos em Licenciaturas e Mestrados Integrados acende a 354, de 63 nacionalidades diferentes, registando assim um aumento de mais de 50% relativamente aos matriculados neste ciclo de estudos em 2019/2020, sendo que a totalidade das vagas foi preenchida na 2ª fase. Para Ana Costa Freitas, Reitora da UÉ, “estes números dão-nos confiança para continuar a construir uma Universidade aberta ao mundo; queremos construir pontes ao invés de muros”.

Apesar deste ter sido um ano profundamente atípico, considerando os vários concursos de acesso, a UÉ manteve a tendência de crescimento dos últimos anos, prevendo-se um incremento do número de novos estudantes na Licenciatura e Mestrado Integrado superior a 15% (de 1496 em 2019/20 para cerca de 1750 novos estudantes em 2020/21).

São resultados que Ana Costa Freitas, Reitora da UÉ considera “extraordinariamente gratificantes”. De facto, “apesar das circunstâncias, a procura de formação, de qualificação, de conhecimento, ganhou novo fôlego. O conhecimento tem o poder de transformar vidas, por isso, deixo uma palavra de boas-vindas aos nossos novos estudantes e, simultaneamente, um primeiro desafio: aproveitem as oportunidades e participem ativamente no quotidiano da nossa Universidade, um espaço dinâmico, diverso e inspirador que vos convoca a desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento da sociedade”.

Na verdade, acrescenta, “é exatamente por esse motivo que nunca parámos de investigar, de ensinar, de inovar; estivemos presentes e diligentes, um posicionamento que faz parte do ADN da nossa instituição e que foi bem vincado nesta fase”. Por isso, “também preparámos um ingresso ou um regresso “seguro”. Vamos retomar com a máxima segurança, seguindo as regras das Autoridades de Saúde e tentando assegurar uma vida o mais “normal” possível para cada um de nós. Considero que estamos preparados para as decisões que eventualmente tenhamos que vir a tomar no decorrer do ano letivo! A palavra de ordem é responsabilidade, para que possamos dar continuidade da nossa missão nesta “nova normalidade”.

No âmbito do CNA, apenas restam 8% das vagas (102) para a 2ª fase, que decorre entre de 28 de setembro e 9 de outubro, distribuídas por todos os cursos oferecidos em 2020/2021.

Fonte: Universidade de Évora / Nota de Imprensa