Em reunião pública de 15 de Julho de 2020

Nesta reunião, o Executivo Municipal teve a oportunidade de conhecer dois projetos de cariz estruturante para o concelho de Évora e para a região. Tratou-se da apresentação do Plano Estratégico do Aeródromo Municipal de
Évora para 2020-2024 – que está em fase final de elaboração – e do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), que caminha para a segunda fase de expansão.

O Presidente da Câmara, Carlos Pinto de Sá, referiu que a recuperação económica e financeira do Município permite avançar para a concretização da estratégia de desenvolvimento de Évora, sendo o Plano Estratégico do Aeródromo Municipal, um dos exemplos deste trabalho em curso. A elaboração deste Plano foi contratada à Sociedade

Portuguesa de Inovação (SPI) e visa afirmar o Aeródromo Municipal à escala nacional e internacional como infra-estrutura aeronáutica de referência, dotando-o de atividades e serviços com valor económico que contribuam para a sua sustentabilidade e posicionamento de Évora no sector aeronáutico bem como para a criação de emprego e desenvolvimento do concelho.

Propõe-se um plano de ação que engloba sete linhas de atuação que passam pela atualização e melhoria da infra-estrutura, operacionalização e gestão, crescimento e atração de investimento, estabelecimento de parcerias, pro-
gramação regular, plano de comunicação e imagem, bem como diversificação de fontes de receita e financiamento. Uma apresentação que contou com a presença do Presidente do Conselho de Administração da SPI e Professor catedrático, Augusto Medina.

Por seu turno, também o Presidente Executivo do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT) e Vice-reitor da Universidade de Évora, Professor Soumodip Sarkar, veio dar a conhecer, a convite do Presidente da Câmara Municipal, os mais recentes avanços referentes a este centro de inovação, conhecimento e tecnologia do Alentejo que está em expansão e a afirmar-se a nível internacional, cujo trabalho pode conhecer em
https://www.pact.pt/site/
Uma expansão que quer voltar a contar com o envolvimento direto da autarquia na sua administração, a qual deixou de poder participar no capital social do Parque por imposição estatal nos tempos de austeridade impostos pela Troika, o que já não acontece atualmente. Esta participação é vista com bons olhos por todo o Executivo camarário e será agora analisada para se decidir em que termos poderá avançar.
Nesta reunião, o Presidente da Câmara de Évora informou ainda sobre os dados mais recentes do Covid-19 no Concelho, salientando que a situação se mantém estabilizada, tendo ocorrido 62 casos no total. Destes, metade
já recuperou totalmente e 31 estão ainda a recobrar a saúde em suas casas.

Na região, a situação está estabilizada, apesar de se manter a preocupação com o surto ativo em Reguengos de Monsaraz, pelo que continua o nível de alerta e os equipamentos de segunda linha em regime de prevenção.
De entre o conjunto de pontos tratados na ordem do dia, destaca-se ainda a aprovação da Prestação de Contas Consolidadas – Relatório de Gestão Consolidado do Município de Évora 2019, com duas abstenções dos vereadores do PS e a aprovação, com uma abstenção do vereador do PSD, da Alteração da Estrutura dos Serviços do Município de Évora, com a criação da Unidade de Habitação e Reabilitação Urbana. O trabalho desta unidade orgânica incidirá na habitação e reabilitação urbana do edificado com vista à concretização da Estratégia e do Plano Local de Habitação.